Saúde retira do ar documento que orientava sobre uso de cloroquina

A Nota Informativa nº 17 regulamentava a utilização de medicamentos para tratamento precoce de pacientes com diagnóstico de Covid-19

atualizado 07/05/2021 23:41

comprimidos em fundo azulHAL GATEWOOD/UNSPLASH

Pouco tempo antes da instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito da Covid-19 no Senado, que ocorreu na terça-feira (4/5), o Ministério da Saúde retirou de seu portal uma recomendação sobre o uso da substância cloroquina. De acordo com informações da revista Piauí, a nota em questão, com o título “Orientações do Ministério da Saúde para o manuseio medicamentoso precoce de pacientes com diagnóstico da Covid-19”, ampliav a orientação de prescrição de difosfato de cloroquina e de sulfato de hidroxicloroquina para pacientes grávidas.

Publicada no ano passado, a Nota Informativa nº 17 regulamentava o uso de medicamentos para tratamento precoce de pacientes com diagnóstico de Covid-19. A reportagem ainda revela que antes mesmo da edição da primeira nota, o Ministério da Defesa já havia comprado 600 kg de pó de cloroquina, segundo atestam registros no Tesouro Nacional.

Com a nota, ficava estabelecido que cabia ao médico decidir se receitaria ou não cloroquina e também estabelecia a exigência de que o paciente assinasse um documento concordando com o tratamento.

Atualmente, no site da Saúde, é possível encontrar notas técnicas sobre outros medicamentos usados sem previsão na bula para a Covid-19, mas nada sobre a cloroquina havia sido publicado até esta quinta-feira (6/5).

0

Últimas notícias