Pesquisa da CNT aponta que 11,2% dos brasileiros não querem ser vacinados contra Covid-19

Os dados do levantamento da CNT mostram que é baixa a expectativa da população de que o imunizante seja aplicado ainda em 2020

atualizado 26/10/2020 17:38

vacinaPixabay

Estudo divulgado pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), nesta segunda-feira (26/10), mostra que 11,2% dos brasileiros não pretendem tomar a vacina contra o novo coronavírus. O levantamento foi realizado em parceria com o Instituto de Pesquisa MDA.

Os dados mostram que é baixa a expectativa da população de que o imunizante seja aplicado ainda em 2020. Quase 60% dos entrevistados creem que as doses só chegarão ao Brasil no próximo ano. Outros 4% acham que “não haverá vacina”.

Questionados sobre o momento em que gostariam de ser vacinados, aproximadamente 50% defenderam aguardar o resultado das vacinações em outras pessoas. Enquanto isso, 40,8% querem ser vacinados de imediato.

Há, atualmente, uma disputa política a respeito da obrigatoriedade ou não da aplicação dos imunizantes contra Covid-19. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) defende que a vacinação não deve ser obrigatória.

Nesta segunda, o mandatário do país reclamou do que chamou de “judicialização da vacina”, referindo-se à defesa feita pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, de que a Justiça poderia decidir sobre questões relacionadas à compra e obrigatoriedade do imunizante contra a Covid-19.

0

Aprovação do governo

A pesquisa também mediu a popularidade do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Segundo o levantamento, o desempenho pessoal do mandatário do país é aprovado por 52% dos brasileiros.

Conforme o estudo, 43,2% dos entrevistados desaprovam a atuação do chefe do Executivo. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.

No que diz respeito ao governo Bolsonaro, a aprovação é de 41,2%. Outros 55,7% classificaram a gestão como regular ou ruim, tendo 27,2% dos entrevistados classificado o desempenho dos comandados e do presidente como péssimo.

Em parceria com o Instituto de Pesquisa MDA, o levantamento realizou 2.002 entrevistas presenciais, de 21 a 24 de outubro de 2020, em 137 municípios de 25 unidades da Federação.

Além da popularidade do mandatário do país, a pesquisa apontou a percepção dos entrevistados em relação a temas como: eleições municipais, vacina contra Covid-19, Operação Lava Jato, retorno presencial de aulas nas escolas e auxílio emergencial. O estudo também avaliou o interesse dos participantes por questões políticas.

Últimas notícias