Ministro sobre fim da quarentena do coronavírus: “Vida que segue”

Azevedo e Silva acompanhou a liberação dos brasileiros que estavam na China e passaram por quarentena devido ao coronavírus

Michael Melo/Metrópoles

atualizado 23/02/2020 13:51

Ao acompanhar a saída dos brasileiros que estavam na China e foram repatriados, fugindo do surto de coronavírus no país asiático, o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, disse que a despedida do grupo foi emocionante, com um misto de “orgulho” e “alívio”. Todos os exames feitos para detectar a moléstia deram negativos.

“A operação foi muito bem feita. O sentimento foi de orgulho e de alívio. Orgulho pela operação em si e alívio porque todos os resultados foram negativos dos exames. Nós cumprimos os protocolos da Organização Mundial de Saúde (OMS), nacionais e internacionais”, disse o ministro neste domingo (23/02/2020) na Base Aérea de Brasília.

“Foi uma cerimônia emocionante. Ninguém, nem da parte deles nem da nossa, conseguiu conter as lágrimas”, disse. “É vida que segue”, enfatizou.

0

Segundo o ministro, o Brasil agora está apto a atender a população, caso haja a necessidade de novas ações de quarentena.

O grupo composto por 58 pessoas – entre repatriados, militares e profissionais de saúde – deixou a Base Aérea de Anápolis no fim da manhã deste domingo (23/02/2020). Ainda sob a custódia do Exército, iriam seguir para outras cidades para se reencontrarem com amigos e familiares. Sete deles tiveram como destino final Brasília e desembarcaram na Base Aérea no início da tarde.

A previsão inicial era de que os brasileiros ficassem de quarentena por 18 dias, tendo liberação somente na próxima quinta-feira (27/02/2020).

Últimas notícias