Mais Médicos: 224 profissionais já se apresentaram para trabalhar

Após a saída dos cubanos, o Ministério da Saúde abriu edital emergencial com cerca de 8,5 mil vagas para o programa

Foto: Ministério da SaúdeFoto: Ministério da Saúde

atualizado 26/11/2018 21:01

Pelo menos 224 brasileiros inscritos no novo edital do programa Mais Médicos já se apresentaram às cidades onde irão trabalhar, segundo dados divulgados na tarde desta segunda-feira (26/11) pelo Ministério da Saúde.

Esses são os primeiros profissionais a substituírem os médicos cubanos que começaram a deixar o país na semana passada, após Cuba anunciar que suspenderia a parceria com o governo brasileiro.

Diante da saída dos estrangeiros, o ministério abriu edital emergencial com cerca de 8,5 mil vagas. De acordo com a pasta, até a manhã desta segunda, apenas seis dias após as inscrições serem abertas, 97,2% dos postos já haviam sido preenchidos.

No período, foram 30.734 inscritos, com 21.407 cadastros efetivados e 8.278 médicos já alocados no município em que irão atuar. Embora o Ministério da Saúde tenha dado até o dia 14 de dezembro para que os profissionais se apresentem, os interessados não precisam esperar até lá. Caso queiram, podem iniciar o trabalho a partir da confirmação da inscrição e escolha da cidade.

20 estados
De acordo com balanço da Saúde, os 224 profissionais que já se apresentaram estão espalhados por 118 cidades de 20 estados. As unidades da Federação que receberam o maior número de médicos até agora foram São Paulo e Minas Gerais, com 42 profissionais cada um, seguidos por Espírito Santo (27) e Paraná (15).

Também já receberam médicos do novo edital Pará (14), Rondônia (13), Bahia (12), Ceará (11), Pernambuco (9), Goiás (9), Paraíba (5), Mato Grosso (5), Distrito Federal (5), Rio Grande do Sul (4), Roraima (3), Santa Catarina (2), Rio de Janeiro (2), Mato Grosso do Sul (2), Piauí (1) e Acre (1).

Se separados por região, os novos profissionais estão, por enquanto, concentrados no Sudeste, onde 113 médicos já se apresentaram, o equivalente a 50,44% do total de doutores já à disposição dos municípios.