Ministério da Saúde anuncia edital para ocupar vagas de cubanos

Pasta diz que tomará todas as medidas para garantir a assistência dos brasileiros atendidos por médicos de Cuba

atualizado 14/11/2018 18:09

Agência Brasil

Após ser informado pela Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), na tarde desta quarta-feira (14/11), sobre a decisão do governo de Cuba de retirar seus profissionais do Programa Mais Médicos, o Ministério da Saúde anunciou que vai abrir, nos próximos dias, edital para selecionar médicos que queiram ocupar as vagas deixadas em aberto pelos profissionais cubanos. “Será respeitada a convocação prioritária dos candidatos brasileiros formados no Brasil, seguida de brasileiros formados no exterior”, ressalta o ministério, em nota.

Cuba tomou a atitude de retirar suas equipes do Mais Médicos em retaliação ao presidente eleito, Jair Bolsonaro, e ao que chamou de “declarações ameaçadoras e depreciativas” direcionadas aos médicos cubanos.

 

Na nota divulgada nesta quarta, o Ministério da Saúde procura tranquilizar a população e afirma que adotará “todas as medidas para que profissionais brasileiros estejam atendendo no programa de forma imediata”.

Na declaração, o ministério coloca, ainda, que desde 2016 trabalha na diminuição de médicos cubanos no Mais Médicos. “Até aquela data, cerca de 11.400 profissionais de Cuba trabalhavam no Mais Médicos. Neste momento, 8.332 das 18.240 vagas do programa estão ocupadas por eles”, afirma.

Veja a íntegra da nota:

“O Ministério da Saúde recebeu nesta manhã (14) o comunicado da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), no qual o governo cubano informa que encerrou sua parceria no programa Mais Médicos.

Diante do fato, o governo federal está adotando todas as medidas para garantir a assistência dos brasileiros atendidos pelas equipes da Saúde da Família que contam com profissionais de Cuba.

A iniciativa imediata será a convocação nos próximos dias de um edital para médicos que queiram ocupar as vagas que serão deixadas pelos profissionais cubanos. Será respeitada a convocação prioritária dos candidatos brasileiros formados no Brasil, seguida de brasileiros formados no exterior.

Desde 2016, o Ministério da Saúde vem trabalhando na diminuição de médicos cubanos no programa. Até aquela data, cerca de 11.400 profissionais de Cuba trabalhavam no Mais Médicos. Neste momento, 8.332 das 18.240 vagas do programa estão ocupadas por eles.

Outras medidas para ampliar a participação de brasileiros vinham sendo estudadas pelo Ministério da Saúde, como a negociação com os alunos formados através do FIES (Programa de Financiamento Estudantil). Essas ações poderão ser adotadas, conforme necessidade e entendimentos com a equipe de transição do novo governo.

O Ministério da Saúde reafirma e tranquiliza a população que adotará todas as medidas para que profissionais brasileiros estejam atendendo no programa de forma imediata.”

Mais lidas
Últimas notícias