*
 

A Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral (Braspen) realiza nesta quarta-feira (6), em Brasília, o primeiro Fórum de Discussão de Combate à Desnutrição Hospitalar. O encontro tem como objetivo alertar os profissionais da saúde, líderes governamentais e a população sobre os perigos da desnutrição.

Na ocasião, será lançado o dia D da campanha Diga Não à Desnutrição, que contará com a presença de 60 representantes de hospitais e órgãos públicos do Brasil. A campanha visa tornar públicas informações sobre a desnutrição, sua prevalência e os problemas causados por ela. Seu principal objetivo é apresentar medidas simples que, quando aplicadas em conjunto, são capazes de melhorar a assistência ao tratamento prestado aos pacientes desnutridos.

Atualmente, a Braspen estima que o percentual de pacientes internados desnutridos pode chegar a 60%. A estatística é alarmante, pois a desnutrição acarreta uma série de problemas: aumenta em três vezes o tempo de internação, em quatro vezes o risco de desenvolvimento de lesões por pressão (conhecidas como escaras e úlcera, além de elevar consideravelmente o risco de mortalidade.

De acordo com o presidente da Braspen, Diogo Oliveira Toledo, os familiares têm papel importante na nutrição do paciente. “Queremos tornar a campanha de conhecimento público, de modo que familiares e pacientes possam ser agentes de cobrança e fiscalizadores durante o tempo de internação e, até mesmo, depois da alta”, afirma.

Combate
O encontro contará com mesas redondas que abordarão os desafios da terapia nutricional, uma análise para mostrar se o tratamento da desnutrição é um custo ou um investimento necessário, um painel para apresentar o panorama da Terapia Nutricional no Brasil, um debate para discutir a inserção da campanha nos projetos do Ministério da Saúde e o encerramento com os desdobramentos dos temas abordados durante o dia.

Participarão do encontro representantes da Braspen, bem como o presidente da instituição, Diogo Oliveira Toledo; Michele Lessa representante do Ministério da Saúde, Roberta Rehem Azevedo e Maria Cecília Moutinho Camargo da Atenção Especializada do Ministério da Saúde. Fernando de Paula Uzueli, da Secretaria de Saúde do DF; Cláudia Laselva, do Hospital Israelita Albert Einsten; Lorena Porto, do Hospital Anchieta; Bernadete Weber, do Hospital Hcor, Maria de Lourdes Worisch Ferreira Lopes, do Hospital Brasília; Maria Gama Rebelo, do Programa de Terapia Nutricional Enteral; Carolina Gama Rebelo, entre outros.