Sarí Corte Real para mãe de Miguel: “Não apertei o botão da cobertura”

"Quando recebi o vídeo e vi, aquilo me bateu uma raiva e uma angústia, e liguei para ela para saber o que aconteceu", revelou Mirtes

atualizado 05/06/2020 21:31

Mirtes, Miguel e SariArquivo Pessoal

A mãe do menino Miguel, que morreu nessa terça-feira (02/06), após cair do 9º andar de um prédio, em Recife, Mirtes Regina, esteve no programa Encontro com Fátima Bernardes nesta sexta-feira (05/06). Durante a entrevista, ela revelou que ligou para a patroa, Sari Corte Real, após o enterro do filho. Suspeita do crime, Sari foi presa em flagrante, mas foi liberada após pagar fiança de R$ 20 mil.

Nessa quinta-feira (04/06) veio a público o vídeo gravado pela câmera de segurança do elevador onde Miguel ficou sozinho e subiu até o 9º andar. Mas Mirtes só soube da existência do vídeo após o sepultamento do menino. “Quando enterrei o meu filho, eu ainda não tinha visto o vídeo e nem sabia. Eu estranhei a reação da minha irmã no velório, pedi paz e respeito. A Sari e o Serginho [patrão de Mirtes e prefeito de Tamandaré] estavam no velório, eu abracei os dois e a minha mãe também abraçou”, contou.

“Quando recebi o vídeo e vi, aquilo me bateu uma raiva e uma angústia, e liguei para ela para saber o que aconteceu, porque ela não tinha ligado para mim. Quando indaguei ela por que ela apertou o botão da cobertura, por que deixou meu filho ali, ela só respondeu: ‘Eu não apertei o botão da cobertura. Vou provar para você’. Ela pode provar o que for, mas ela deixou o meu filho no elevador”, ressaltou Mirtes.

0

Somente o fato de Sari ter deixado Miguel sozinho no elevador já foi interpretado como um risco para a criança, na opinião da mãe. Para ela, a primeira-dama deixou o menino em perigo. “Ela não deu resposta [sobre por que deixou Miguel no elevador]. Só disse que ia provar que não apertou o botão. Ela pode provar o que for, mas ela deixou. As imagens são claras, ela deixou o meu filho lá e esperou a porta fechar”, lamentou Mirtes.

“Ela não teve a coragem de segurar a mão do meu filho e tirar ele ali de dentro. Se fosse um filho dela, eu teria tirado. Uma criança inocente e que não tinha noção do perigo. A única coisa que ele queria era a mim, a mãe dele. Ela não teve um pingo de paciência”, desabafou.

Últimas notícias