RJ: juíza mantém prisão de mãe e filho acusados por morte de dubladora

Cristiane Louise de Paula da Silva foi morta em seu apartamento, em Ipanema, em julho. Ela era responsável pela voz de Margarida, da Disney

atualizado 01/01/2022 14:14

Reprodução

Rio de Janeiro – Acusados da morte da dubladora Cristiane Louise de Paula da Silva, de 49 anos, o economista Pedro Paulo Gonçalves Vasconcellos da Costa e sua mãe, Eliane Gonçalves Vasconcellos da Costa, vão continuar presos. A decisão é da juíza da 1ª Vara Criminal do Rio Tula Correa Mello. O crime ocorreu em julho.

“Da análise dos autos, observa-se que permanecem íntegros os fundamentos que deram ensejo à decretação da prisão preventiva. (…) Não se verifica qualquer excesso de prazo nos presentes autos. O acusado Pedro foi preso em 13/08/2021, e a acusada Eliane presa em 18/08/2021”, escreveu a magistrada.

Mãe e filho respondem por homicídio duplamente qualificado e ocultação de cadáver.  A dubladora, de personagens como a Margarida, da Disney, foi assassinada dentro do seu apartamento em Ipanema, na zona sul. Pedro Paulo é acusado de ter desferido os golpes com faca.

A mãe de Pedro, Eliane, além de instigar seu filho a assassinar a dubladora, é acusada de o ter ajudado a esconder o  corpo, encontrado embrulhado em lençóis em um saco de lixo, em Grumari, na Zona Oeste.

Ao confessar o crime, o economista alegou para agentes da Polícia Civil que estava agindo em legítima defesa a um transtorno mental da vítima, “possuída pelo demônio”. O motorista de aplicativo Arthur Barroso Marciano responde por ocultação de cadáver.

Mais lidas
Últimas notícias