RJ cria alerta por SMS para localizar crianças e adolescentes sumidos

É a primeira iniciativa do tipo no país; nas primeiras 24h, três milhões de pessoas recebem mensagens de SMS com dados dos desaparecidos

atualizado 24/03/2022 17:05

Delegada Ellen Souto, da Delegacia de Descoberta de ParadeirosDivulgação/Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro

Rio de Janeiro – O estado do Rio lançou o primeiro alerta via mensagens de SMS com dados de crianças e desaparecidos do país, com alcance de três milhões de números de celulares cadastrados, nessa quarta-feira (23/3). O objetivo é divulgar as informações dos sumidos nas primeiras 24 horas, o que aumenta as chances de localização.

O programa, batizado de Alerta Pri, é uma homenagem a Priscilla Belfort, irmã do lutador Vitor Belford. Ela desapareceu em 2004. “Apesar da minha filha não ter sido encontrada, esse projeto é um portal de esperança para as mães. Peço que as pessoas, ao receberem o alerta, não o ignorem”, afirmou Jovita Belfort, mãe de Priscilla.

Só neste ano, a Delegacia de Descoberta de Paradeiros registrou 371 casos de crianças e adolescentes desaparecidos. No ano passado, foram 326 registro, com 28 localizados. O programa foi inspirado em um modelo americano.

“As pessoas precisam se cadastrar, o que é simples. Você entra em contato com o número 55 190, depois recebe o link e basta colocar o seu CEP. Crianças e jovens desaparecidos circulam, então qualquer um pode ver e ajudar. É preciso consciência social”, argumentou a delegada Ellen Souto.

Os números já cadastrados pelas operadoras de celulares recebem mensagem que traz o nome da criança, idade e link para o site da Polícia Civil, criado para o Alerta Pri.

“É uma vitória de toda a população carioca e fluminense. Fico muito feliz de estarmos conseguindo avançar na causa do desaparecimento, fruto de uma Comissão Parlamentar de Inquérito que criei para investigar esses desaparecimentos”, explicou o criador da Lei Alerta Pri, deputado estadual Alexandre Knoploch (PSC).

Como funciona

Toda vez que uma criança desaparecer no estado e o registro for feito em uma distrital ou especializada, a Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA) emitirá um informe às operadoras de telefonia. Assim, o alerta será enviado para os números de celulares.

Mais lidas
Últimas notícias