Rejeição irá diminuir, afirma Flávio Bolsonaro sobre reeleição do pai

Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan News nesta terça-feira (8/2), Flávio comentou sobre os preparativos para a campanha

atualizado 08/02/2022 14:15

Rafaela Felicciano/Metrópoles

Rio de Janeiro – O senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro (PL), é um dos integrantes da equipe que coordenará a campanha de reeleição ao Palácio do Planalto. O parlamentar se diz otimista de que o resultado será favorável e que a tendência é de queda na rejeição que o presidente enfrenta.

Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan News, nesta terça-feira (8/2), Flávio comentou sobre os preparativos e as expectativas. “Todos que têm o termômetro das ruas e que acompanham o presidente e veem o seu esforço em desfazer todo aquele trabalho que a grande mídia fez de desconstrução da sua imagem estamos muito otimistas de que o resultado [das eleições] vai ser muito favorável. E todas essas rejeições que são apontadas ao presidente Bolsonaro têm a diminuir bastante”, disse.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
0

O senador insistiu no discurso pontuando problemas de gestões antigas e acredita que o povo vai votar em seu pai “para que escândalos de corrupção não voltem a ocorrer no Brasil”. “Eu tenho certeza que o povo não vai querer que nós voltemos a ter uma rotina de pessoas presas no governo federal, acusadas de desvio de corrupção, como aconteceu no governo do PT. Esse papo de que o Lula é inocente não vai colar. A tentativa [da oposição] é colocar Bolsonaro no mesmo patamar nesse assunto do que o Lula e isso é impossível”, declarou.

Sobre o financiamento da campanha, explicou: “Estou buscando costurar a reaproximação, para que o União Brasil (fusão das legendas DEM e PSL) esteja dentro da coligação oficial do presidente Bolsonaro. O PL tem um fundo bastante razoável. Óbvio que é insuficiente para a campanha presidencial, ainda mais nos moldes que faremos, que vamos precisar dos palanques em vários estados”, explica.

Mais lidas
Últimas notícias