Quem é a filha do cantor Belo investigada por golpe do cartão

Polícia investiga ligação entre Isadora Vieira, caçula do cantor Belo, e quadrilha presa recentemente em golpe de cartão de crédito no RJ

atualizado 13/07/2021 12:49

Filha do Cantor BeloReprodução

A prisão de uma quadrilha de estelionatárias no Recreio dos Bandeirantes, na zona oeste do Rio, fez emergir o nome da filha caçula do cantor Belo, Isadora Alkimin Vieira, de 22 anos. A Polícia do Rio investiga se existe conexão entre as mulheres presas na operação realizada na semana passada e a quadrilha que teria participação da herdeira do músico.

Isadora Alkimin Vieira chegou a ser presa em 10 de novembro de 2020 com outras 11 mulheres em um apartamento em Jacarepaguá, onde funcionava uma espécie de central de telemarketing usada para roubar dados bancários em contatos por telefone com as vítimas. 

A filha de Belo permaneceu na prisão por quase um mês na prisão até obter o aval da Justiça para responder ao processo em liberdade. 

Isadora foi denunciada pelo Ministério Público do Rio por formação de organização criminosa. O golpe orquestrado pela quadrilha consistia em ligar para o titular de um cartão de crédito e dizer que ele havia sido clonado.

E a partir deste contato telefônico, as participantes do esquema tentavam obter dados bancários e dos cartões de crédito das vítimas.

Segundo reportagem do Globo, Isadora alegou após a prisão que sua função era coletar dados e fazer anotações sobre as pessoas contactadas por telefone.

Isadora disse em depoimento desconhecer como as informações obtidas eram utilizadas. “Achava que era uma coisa ilegal, porém achava que essas pessoas seriam ressarcidas por alguma instituição financeira e não tinha certeza se elas perderiam determinado valor”, dizia o relato de Isadora feito à Polícia Civil do Rio de Janeiro.

De acordo com o jornal Extra, a Polícia do Rio identificou diversos procedimentos em comum nas abordagens às vítimas realizadas pela quadrilha presa recentemente e o grupo com participação de Isadora detido no ano passado.

“Tudo indica que seja a mesma quadrilha. Ainda estamos em investigação, mas já há elementos que nos apontam isso”,  disse a delegada titular da 40ª DP (Honório Gurgel), Márcia Beck Simões, responsável pela última prisão da última quarta, em entrevista ao Extra.

Últimas notícias