“Quem ama, aceita e tolera”, disse Monique à avó de Henry

A troca de mensagens teria ocorrido cerca de duas semanas após a babá da criança relatar à mãe de Henry as agressões que o menino sofria

atualizado 14/04/2021 10:34

prisao jairinho e mãe do henry Monique Medeiros durante prisão 7Reprodução/TV Globo

Quase duas semanas após a babá relatar as agressões que Henry Borel Medeiros, 4 anos, sofria dentro de casa, a mãe do menino, Monique Medeiros, enviou para a avó materna da criança, Rosângela Medeiros, uma foto do garoto dormindo no chão do quarto que Monique dividia com o médico e vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho.

Na conversa, obtida pelo jornal O Globo, Rosângela, em resposta à imagem recebida, disse: “Toda criança é desse jeito. Seu irmão foi assim. O problema é que pai tolera e aceita. E tio?”. Em seguida, a mãe do menino pontuou: “Quem ama, aceita e tolera também…”.

Mensagens entre mãe de Henry e avó

A troca de mensagens aconteceu 11 dias após o relato da babá do menino, Thayna de Oliveira Ferreira. Na data, a funcionária da família contou para Monique, em tempo real, o que ocorria na casa. Apesar de estar a cinco minutos de distância da residência, a mãe de Henry só retornou ao local três horas depois.

No depoimento prestado na 16ª DP (Barra da Tijuca), a babá relatou que estava na brinquedoteca do prédio com o garotinho quando Monique pediu para que eles descessem para “darem uma volta” de carro.

Segundo a funcionária, a mãe de Henry disse: “Nossa, eu vim rápido, ainda borrei minha unha. Me conta, Thayna, o que aconteceu?”. A babá, então, relatou novamente a conversa que teve com Henry sobre as agressões que o garoto sofria. A criança ainda confirmou com a cabeça que havia sido atacada pelo padrasto.

0
Caso Henry

Monique e Jairinho foram presos no último dia 8, um mês após a morte do menino. A prisão foi decretada por 30 dias, pelo 2º Tribunal do Júri. O casal alega acidente doméstico, mas laudo cadavérico mostrou que no corpo do garotinho havia 23 lesões por agressões.

Henry chegou a falar para Monique sobre os maus-tratos que recebia de Jairinho. Ele fez uma ligação de vídeo, no dia 12 de fevereiro, para contar à mãe que tinha sofrido agressões.

De acordo com o delegado Edson Henrique Damasceno, Monique e Jairinho serão indiciados por homicídio duplamente qualificado e tortura.

Últimas notícias