Queiroga encontrará embaixador indiano para discutir nova variante

A agenda foi anunciada pelo próprio cardiologista em conversa com jornalistas na tarde desta segunda-feira (24/5)

atualizado 24/05/2021 15:38

Marcelo Queiroga, ministro da Saúde Igo Estrela/Metrópoles

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, deve se reunir com o embaixador indiano Suresh K. Reddy nesta segunda-feira (24/5) para discutir a presença da nova variante do coronavírus no Brasil. A agenda foi anunciada pelo próprio cardiologista em conversa com jornalistas.

Quatro estados brasileiros registraram casos suspeitos de pacientes infectados com a cepa indiana do vírus. Maranhão, Ceará, Pará e Rio de Janeiro monitoram possíveis contaminações pela variante, chamada de B.1.617. De acordo com o titular da Saúde, o objetivo da reunião com Suresh K. Reddy é “trocar experiências”.

“O assunto da variante é algo que chama atenção, vou conversar com ele [embaixador indiano] para trocar experiências, dialogar com a comunidade científica indiana. Tudo é novo. Vamos trabalhar para procurar evitar a propagação comunitária dessa variante. É um desafio, mas a gente tem que trabalhar forte”, afirmou o ministro.

No último sábado (22/5), Queiroga se reuniu com membros da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e gestores de São Paulo e Guarulhos para tratar de medidas de contenção do vírus em locais de grande circulação de pessoas.

Queiroga propôs trabalho conjunto entre o Ministério da Saúde e as secretarias estaduais e municipais de saúde para reforçar medidas adotadas pela Anvisa, como restrição de voos e abordagem de passageiros estrangeiros.

Testes

No domingo (25/5), o titular da Saúde viajou ao Maranhão e distribuiu 600 mil testes de antígeno para detecção do coronavírus no estado. Segundo Queiroga, mais 3 milhões de exames já foram adquiridos e devem ser distribuídos aos demais estados e municípios.

O quantitativo é a primeira remessa dos aproximadamente 20 milhões de testes que o ministério pretende distribuir a todas as unidades da federação mensalmente. Na última sexta-feira (21/5), a pasta anunciou que organiza um programa de testagem em massa.

O assunto deve ser tratado por técnicos do órgão e por representantes do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (Conasems) nesta segunda-feira.

“São 3 milhões de testes que nós já havíamos definido. Nossa  proposta é testar até 20 milhões por mês. É o primeiro lote a ser distribuído. Já estamos providenciando a aquisição destes testes para entrar efetivamente na pauta. É uma política nacional. Todos os estados da federação vão ser alvo dessa política de testagem. Vamos pactuar a política de testagem com Conass e Conasems”, disse o ministro.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0
Variante indiana

Na semana passada, o Maranhão confirmou os primeiros casos de adoecimento pela nova variante no país. Ao todo, seis pessoas contraíram o vírus e outras 100 estão sendo monitoradas. Uma pessoa está internada em estado grave e intubada.

Os primeiros casos foram registrados em um navio que chegou ao litoral maranhense. A embarcação MV Shandong Da Zhi, que permanece em quarentena no Porto do Itaqui, em São Luís, está proibida de atracar para diminuir os riscos de exposição da população ao contato com a nova variante.

Depois, o Ceará informou que investiga a suspeita de um caso de Covid-19 pela cepa indiana no estado. O paciente, que está em Fortaleza, voltou de uma viagem à Índia no último dia 9.

No sábado, a Secretaria Estadual de Saúde do Pará revelou que investiga dois casos suspeitos de infecção pela variante indiana no município de Primavera, distante 199km de Belém.

Mais lidas
Últimas notícias