Queiroga: “Ômicron é uma variante de preocupação, não de desespero”

Ministro da Saúde fez live neste domingo (28/11) no qual apontou a vacinação como a principal arma contra a nova variante do coronavírus

atualizado 28/11/2021 18:16

ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, me coletiva de imprensa de apresentação do cronograma de vacinação da Covid-19 para 2022Igo Estrela/Metrópoles

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse, neste domingo (28/11), que os cuidados com a nova variante do coronavírus, batizada de Ômicron (B.1.1.529), são os mesmos tomados com outras cepas, como a Delta e a Gama.

“Os cuidados com essa variante são os mesmos cuidados com as outras variantes”, disse o ministro, em transmissão ao vivo.

Queiroga apontou a campanha de vacinação como a principal arma contra a nova variante e pediu para que todos os brasileiros se tranquilizassem. “É uma variante de preocupação, mas não é uma variante de desespero”, contemporizou o ministro da Saúde.

Em adendo, o secretário de Vigilância da Saúde da pasta, Arnaldo Medeiros, afirmou que, além da vacinação, é importante manter as chamadas medidas não farmacológicas.

“Evitarmos aglomerações fúteis, como o senhor [Marcelo Queiroga] fala; higienização das mãos; o álcool em gel; a etiqueta respiratória”, disse.

A B.1.1.529 foi identificada inicialmente na África do Sul. No entanto, ao menos outros 10 países já registraram casos da Ômicron.

Neste domingo, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou ter identificado um brasileiro que está infectado pela Covid após ter passado pela África do Sul, país com foco da Ômicron. Ainda não há a confirmação sobre a relação do caso com a nova linhagem do vírus.

0

Portaria publicada nesse sábado (27/11), em edição extra do Diário Oficial da União (DOU), proíbe a entrada de viajantes vindo da África do Sul e de outros cinco países africanos: Botsuana, Eswatini, Lesoto, Namíbia, Zimbábue.

A decisão atende recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Mais lidas
Últimas notícias