Professor da UFPB entra com habeas corpus na Justiça em nome de égua

Advogado pede que à Fada seja garantido o direito de ir e vir constitucionalmente assegurado. Animal foi vítima de maus-tratos

atualizado 12/11/2021 19:23

égua castanhaDivulgação/ CCZ Campos

Francisco José Garcia, professor da Universidade Federal Paraíba (UFPB) e advogado, usou suas redes sociais para anunciar que entrou com um  habeas corpus por uma égua. O animal, chamada Fada, pede ao Poder Judiciário que a ela seja garantido o direito de ir e vir constitucionalmente assegurado.

De acordo com o professor, o animal, quando vivia sob os cuidados de seu antigo tutor, estava sob intenso sofrimento e maus-tratos. Tomando conhecimento da situação, o Centro de Controle De Zoonoses (CCZ) de Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro, resgatou o animal e o acolheu.

A ONG Santuário das Fadas se interessou em ficar com a égua, mas, segundo Francisco José, o CCZ de Campos dos Goytacazes não quer liberar o animal. O motivo seria porque uma entidade que trabalha com equoterapia estaria interessada na égua.

Leia mais no Portal T5, parceiro do Metrópoles.

Mais lidas
Últimas notícias