Violência contra mulher: PSol acusa governo Bolsonaro na ONU

Os parlamentares afirmam que o presidente não se empenha para financiar políticas públicas em defesa das mulheres

Andre Borges/Esp. Metrópoles

atualizado 06/02/2020 17:47

A bancada do PSol protocolou uma denúncia contra o governo Jair Bolsonaro na Relatoria Especial da Organização das Nações Unidas (ONU), nesta quinta-feira (06/02/2020), em relação às políticas públicas para mulheres no Brasil. Os parlamentares pedem “com urgência” uma declaração do órgão.

Segundo o documento, na gestão de Bolsonaro, os índices de violência contra a mulher aumentaram. Além disso, os parlamentares afirmaram que o preconceito racial também tende a crescer.

“Sob o governo de Jair Bolsonaro, a situação foi agravada: algumas das principais políticas do Estado para combater a violência contra as mulheres ainda não foram financiadas e outras sofreram cortes sem precedentes”, diz trecho da denúncia.

Os deputados ainda citam declarações “ofensivas” do presidente como impulso para o aumento da violência: “Além de desmantelar as políticas brasileiras de proteção às mulheres, Bolsonaro possui um registro extenso de declarações que diminuem as mulheres e promovem violência: uma combinação perigosa que põe em causa a intenção e a capacidade do Brasil em cumprir suas obrigações”.

Na denúncia, os deputados pedem que a ONU analise com urgência o comportamento do governo brasileiro. Eles ainda sugerem que o órgão marque uma visita de emergência ao Brasil, com a presença do relator especial, para avaliar a situação de violência contra as mulheres.

Últimas notícias