Senado aprova convite a Pazuello para explicar vacinação contra Covid-19

Líder do governo disse que ministro está à disposição, por isso, não havia a necessidade de o comparecimento ser compulsório

atualizado 04/02/2021 18:57

Pazuello anuncia aquisição de 100 milhões de doses da vacinaIgo Estrela/Metrópoles

O Senado aprovou nesta quinta-feira (4/2) um convite para que o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, preste esclarecimentos sobre as ações do governo para imunizar a população contra a Covil-19.

O pedido apresentado inicialmente pela senadora Rose de Freitas (MDB-ES) era de “convocação”, o que tornaria obrigatório o comparecimento do ministro.

“Um dos requerimentos é voltado a trazer o ministro da Saúde para que ele explique, informe, o que nós vivemos. As informações que temos são as da mídia, que diz que houve expediência para isso”, pediu, ao plenário, a senadora.

“Estamos enfrentando os piores momentos da pandemia, com elevação, com a situação enfrentada no Amazonas”, continuou.

Bezerra afirmou que Pazuello está à disposição para ir ao Senado e, por isso, não havia a necessidade de tornar o comparecimento compulsório. O senador Major Olímpio defendeu a convocação. “A morte não convida, convoca.”

Antes da sessão, o presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), também informou que vai analisar o pedido de abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19, após a sessão do Senado, para assim tomar a decisão de instalar ou não a investigação.

A abertura da CPI depende da definição de Pacheco sobre o pedido apresentado por 30 senadores, encabeçado por Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

“Eu soube do requerimento da CPI, das assinaturas, mas ainda não o examinei. Vou examinar junto com a assessoria após a sessão.”

Antes de entrar na seção, ele sinalizou ser favorável, a princípio, à realização de uma discussão sobre as ações na pandemia.

“É importante haver toda e qualquer discussão que seja em torno da questão da pandemia. Vamos avaliar só os requisitos próprios da CPI, para saber se é o caso de instalá-la ou não.”

Sem oxigênio

O requerimento foi formalmente apresentado na tarde desta quinta e tem por objetivo verificar se houve omissão do governo federal no enfrentamento da pandemia de coronavírus, incluindo as suspeitas de ações e omissões que levaram ao agravamento da situação sanitária no Amazonas, com a ausência de oxigênio para os pacientes internados.

Durante a sessão desta quinta, a primeira do ano utilizando o sistema híbrido com apenas alguns senadores em plenário, alguns parlamentares se dirigiram diretamente a Pacheco pedindo uma decisão em favor da abertura de investigação.

“O que aconteceu no Amazonas não tem parâmetro para o Brasil e, proporcionalmente, somos os país com o maior número de mortes por dia”, disse o autor do requerimento, senador Randolfe Rodrigues.

Eduardo Braga (MDB-AM) enfatizou que até o momento o governo não deu reposta efetiva para a crise em seu estado. “Temos vidas humanas abandonadas no interior do Amazonas, portanto, encaminho essa indicação”, disse.

“Assinei o pedido de CPI para que possamos entender, compreender, fiscalizar e explicar para o Brasil de que forma aplicamos o recurso que nós do Senado e que o governo federal mandou aos estados brasileiros, inclusive ao meu estado e que, lamentavelmente, não representou até agora reposta para aqueles que estão necessitando de socorro”, destacou.

0

 

Últimas notícias