Senado abrirá licitação para comprar R$ 2,8 milhões em papel e cartões

A Casa Alta do Congresso também prevê gastar mais de R$ 600 mil com impressoras e crachás de identificação

atualizado 28/03/2022 18:15

congresso nacionalRafaela Felicciano/Metrópoles

O Senado Federal abrirá neste mês de abril uma licitação destinada a contratar uma empresa que fornecerá papéis e cartões para impressões gráficas. Ao todo, o pregão custará R$ 2.832.942,50 aos cofres públicos, conforme orçamento feito pela própria Casa.

De acordo com a Comissão Permanente de Licitação do Senado, vencerá o certame a empresa que apresentar o menor preço por item. A lista de compras inclui a aquisição de cerca de 357 toneladas de insumos, entre papel do tipo offset, couchê, kraf, pólen e outros.

A justificativa dada pelo Senado para a aquisição milionária é de que os insumos são de “primeira necessidade”.

Os organizadores do certame afirmam que os produtos serão utilizados pela Secretaria de Editoração e Publicações do Senado Federal (Segraf) para impressão de publicações oficiais, além de materiais da Coordenação de Edições Técnicas, do Conselho Editorial, e para divulgação das atividades parlamentares.

A licitação está prevista para ser aberta no próximo dia 7 de abril, uma quinta-feira.

R$ 608 mil em crachás

Ainda no setor gráfico, o Senado calcula outro gasto elevado. A Casa estima que terá que desembolsar mais de R$ 608,3 mil para adquirir impressoras destinadas à impressão de crachás. A compra parte de demanda da Secretaria de Tecnologia da Informação.

Ao todo, serão adquiridas três impressoras coloridas de dupla face de cartão. Cada uma está orçada em, pelo menos, R$ 77 mil – totalizando um gasto superior a R$ 231 mil. Os outros R$ 377 mil serão empregados na compra de insumos para produção dos crachás.

De acordo com a Casa Alta do Congresso Nacional, os equipamentos serão empregados nas confecções dos crachás dos servidores. “Com a implantação dos controles acesso de pessoas e de veículos, os crachás agregarão a função de liberação do acesso às dependências do Senado Federal”, alega a Comissão Permanente de Licitação.

 

Mais lidas
Últimas notícias