Segurança de Bolsonaro pede que apoiadores não critiquem imprensa

Nessa terça-feira (31/03), o presidente incentivou um seguidor a chamar jornalistas de abutres na porta do Palácio da Alvorada

atualizado 01/04/2020 10:00

Michael Melo/Metrópoles

Após incentivar apoiador a chamar jornalistas de abutres, na porta do Palácio da Alvorada, nessa terça-feira (31/03), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) evitou dar entrevista ao deixar a residência oficial.

Depois do episódio, os apoiadores que aguardam a saída do presidente foram orientados nesta quarta-feira (01/04) por um dos seguranças de Bolsonaro a evitarem críticas direcionadas à imprensa.

“Eu só peço a vocês que, quando o comboio parar aqui, evitar ficar criticando a imprensa. Infelizmente, eles também estão fazendo o trabalho deles”, disse ao seguidores de Bolsonaro.

Entenda
Nessa terça-feira, o professor de matemática e youtuber Emerson Teixeira criticou os jornalistas que trabalham no Alvorada pelas manhãs.

“Vocês ficam todos jogando o presidente contra os ministros e os ministros contra o presidente, que coisa feia, ninguém aguenta isso mais. É o tempo todo jogando os ministros contra o presidente. Ontem eu fiz um vídeo no meu canal mostrando isso”, reclamou.

Após as ofensas proferidas pelo seguidor, Bolsonaro pediu que ele continuasse falando e que os jornalistas se calassem. “Não, fala aí, fala aí. Pode falar. É ele que vai falar, não ‘é’ vocês não”, gritou o presidente.

Os profissionais da imprensa que estavam no local abandonaram a entrevista após o episódio.

Emerson já foi alvo de processo por autorizar que alunos fizessem churrasco dentro da sala de aula.

Últimas notícias