Randolfe diz que Pfizer procurou governo 81 vezes e ficou sem resposta

Com documentos sobre a mesa, vice-presidente da CPI da Covid contabilizou as datas e as correspondências

atualizado 09/06/2021 18:43

Senador Randolfe Rodrigues. CPI da Covid. CPI da PandemiaRafaela Felicciano/Metrópoles

O vice-presidente da CPI da Covid, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), afirmou, nesta quarta-feira (9/6), que ao menos 81 correspondências da farmacêutica Pfizer com ofertas de vacinas foram encaminhadas ao governo federal e, segundo ele, a maioria não obteve resposta.

Durante a sessão, com documentos sobre a mesa, o senador contabilizou as datas e as correspondências. “Foram 81 correspondências. Ao que me parece, sr. Elcio Franco [ex-secretário executivo do Ministério da Saúde], pelo menos dos documentos que temos aqui, 90% dessas sem resposta”, disse Randolfe à CPI da Covid.

0

Franco era o braço direito do ex-ministro Eduardo Pazuello no Ministério da Saúde entre junho de 2020 e março de 2021.

A CPI da Covid tem o objetivo de investigar as ações e omissões do governo federal no enfrentamento à pandemia e, em especial, no agravamento da crise sanitária no Amazonas com o desabastecimento de oxigênio hospitalar, além de apurar possíveis irregularidades em repasses federais a estados e municípios.

Últimas notícias