Randolfe chama discurso de Bolsonaro na ONU de “vexame mundial”

Líder da oposição no Senado Federal, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) afirmou que "nunca um presidente foi à ONU para dividir o Brasil"

atualizado 21/09/2021 11:38

Randolfe Rodrigues_CPIJefferson Rudy/Agência Senado

O líder da oposição do Senado Federal, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), usou as redes sociais, nesta terça-feira (21/9), para criticar o pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na Assembleia Geral das Organizações das Nações Unidas (ONU).

O senador resumiu o discurso do chefe do Executivo nacional como “vexame mundial”.

Randolfe afirmou que “nunca um presidente foi à ONU para dividir o Brasil”. “Especialmente em um momento que precisamos de união entre os brasileiros para salvar vidas. Absurdo sem precedentes”, publicou o senador.

O vice-presidente da CPI da Covid-19 disse que Bolsonaro “mentiu do início ao fim” em sua fala. “Ao invés de defender a vacina, criticou o passaporte da vacina que tem dado resultados bons no mundo todo, e falou sobre um tratamento sem efetividade contra a Covid-19. Um vexame mundial”, continuou.

O senador também rebateu a defesa de Bolsonaro de que não houve corrupção em seu governo. “Rachadinha, US$ 1 por vacina, prevaricação, orçamento paralelo, empresas investigadas em conluio com o governo. Como assim não há corrupção no seu governo? Quer enganar quem?”, completou.

O discurso

Na abertura da 76ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que o Brasil estava “à beira do socialismo”. E também frisou que o país é contra a exigência de comprovação de vacinação contra a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Bolsonaro afirmou que o governo está investindo na imunização, mas que não se pode obrigar a população a se imunizar. “Somos contra o passaporte da vacina”, salientou. “Até novembro, quem quiser será vacinado”, continuou.

No início da fala, o presidente destacou que seu objetivo na ONU era mudar a imagem internacional do país. “Venho mostrar aqui um Brasil diferente daquilo publicado em jornais ou visto em televisões. Estamos há 2 anos e oito meses sem nenhum caso de corrupção”, frisou.

Bolsonaro elogiou a política ambiental brasileira. “Nenhum país do mundo possui uma legislação ambiental tão completa como a nossa. O país tem grandes desafios ambientais”, frisou.

Bolsonaro foi o primeiro chefe de Estado a discursar na abertura da Assembleia da ONU, que reúne mais de 100 líderes na sede da organização, em Nova York. Tradicionalmente, cabe ao presidente do Brasil abrir a lista de oradores da conferência.

Havia forte expectativa em torno do discurso do presidente brasileiro. Com pressão internacional em razão do aumento das queimadas e dos desmatamentos na Amazônia, esperava-se um recuo na questão ambiental.

Últimas notícias