Na ONU, Biden defende união para conter mudanças do clima

Presidente norte-americano anunciou captação de recursos para fundo climático e disse que aumentará doações de vacinas contra a Covid-19

atualizado 21/09/2021 11:30

Joe Biden na assembleia da ONUEduardo Munoz-Pool/Getty Images

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, pediu que o mundo esteja unido em pautas comuns, como a contenção de mudanças climáticas e o combate à Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Biden discursou nesta terça-feira (21/9) durante a 76ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), após a fala do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

“O nosso futuro coletivo depende de agirmos juntos”, destacou o presidente norte-americano. Para ele, o mundo vive “a década decisiva” para o futuro. “Será que vamos trabalhar juntos para salvar vidas, derrotar a Covid-19 e preparar o mundo para uma próxima pandemia ou vamos falhar? Será que vamos enfrentar o desafio do clima ou vamos sofrer a marcha que traz incêndios, enchentes e a alta dos oceanos?”, salientou.

Biden saiu na defesa da vacinação mundial contra a Covid-19. “Precisamos vacinar, e vacinar agora”, afirmou enfaticamente.

Segundo Biden, 500 milhões de doses para serão doadas para o consórcio internacional da ONU que democratiza o acesso ao imunizante.

Na abertura da assembleia, o secretário-geral da ONU, António Guterres, criticou o desequilíbrio mundial na distribuição de vacinas.

“Falta desejo político e confiança. A maioria do mundo vacinado e ainda 90% dos países africanos não conseguiu vacinar-se. É algo imoral, obsceno, do nosso tempo”, frisou.

Clima

Biden reafirmou a defesa de garantir o crescimento econômico, mas preservando o meio ambiente. Segundo ele, novas medidas serão anunciadas durante a assembleia da ONU.

“Nós conseguiremos mobilizar 100 bilhões de dólares para financiar iniciativas para o clima”, adiantou. Biden disse que os Estados Unidos serão líderes nessa empreitada.

O chefe do Executivo norte-americano frisou que continuará combatendo o terrorismo e defendeu que o mundo não fique dividido. “Não queremos uma nova guerra fria”, frisou.

Segundo o presidente dos Estados Unidos, o país está preparado para antever e frustrar intenções de ataques. “Sabemos a dor e o amargo do terrorismo”, ponderou.

Últimas notícias