Preso, Daniel Silveira aciona Conselho de Ética contra Randolfe

Na representação ao colegiado, o deputado bolsonarista reclamou de críticas a Bolsonaro e destacou que "por muito menos" ele está preso

atualizado 29/07/2021 12:10

Deputado federal, Daniel Silveira se recusa a usar máscaraReprodução/Facebook

O deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) entrou com representação no Conselho de Ética do Senado Federal contra o vice-presidente da CPI da Covid-19, Randolfe Rodrigues (Rede-AP) por críticas ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Silveira, que está preso desde 24 de junho por violar o uso da tornozeleira eletrônica, disse que, em entrevista ao canal no Youtube do MST, Randolfe “desfere seríssimas palavras que podem ser interpretadas como subversivas, antidemocráticas, caluniosas, difamatórias” contra o presidente “e que atentam diretamente ao Estado Democrático e de Direito”.

Na representação, o deputado destacou trechos em que o senador teria chamado Bolsonaro de “genocida” e “ladrão de vacinas”.

“Por muito menos do que fora tornado público em ataques provocados pelo representado, senador de República, e que certamente deverá sofrer as mesmas penalidades impostas a este, que se encontra preso tão somente por expressar sua opinião”, argumenta.

Silveira foi preso em flagrante em 16 de fevereiro deste ano, após publicar um vídeo, em que atacou os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), defendeu o fechamento da Corte e fez apologia ao Ato Institucional n° 5 (AI-5), considerado o mais duro da ditadura militar.

O Conselho de Ética da Câmara aprovou, no início de julho, suspensão do mandato de Silveira por seis meses no caso relativo às críticas ao ministro do STF. O deputado, todavia, pode recorrer à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa. Ele é alvo de outras representações.

Procurada, a assessoria do senador disse que, em princípio, não iria se manifestar.

Veja a representação:

Representação_Conselho de Ética by Júlia Portela on Scribd

Últimas notícias