metropoles.com

“Preço vai cair pela metade, se Deus quiser”, diz Bolsonaro sobre gás de cozinha

Presidente atribui a alta do utensílio aos governadores, que, segundo ele, não querem reduzir o ICMS (imposto estadual)

atualizado

Compartilhar notícia

Alan Santos/PR
bolsonaro_brasil
1 de 1 bolsonaro_brasil - Foto: Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse, na tarde desta quarta-feira (29/9), que, “se Deus quiser”, o valor do gás de cozinha vai cair pela metade. A medida, contudo, depende da venda direta do utensílio, sem passar por distribuidoras.

“Com essa possível venda direta do gás de cozinha, ele vai cair à metade do preço. Esse preço vai cair à metade, se Deus quiser, pode ter certeza”, afirmou o chefe do Executivo.

A declaração foi dada durante visita à cidade de Boa Vista (RR). Na ocasião, Bolsonaro anunciou a entrega das obras do Linhão do Tucuruí. A linha de transmissão de energia entre o estado e o Amazonas permitirá que Roraima receba energia do Sistema Integrado Nacional.

Bolsonaro atribui aos governadores a responsabilidade sobre a alta do gás de cozinha. Segundo ele, os mandatários não querem diminuir o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços, que é um tributo estadual. O valor do utensílio doméstico já chega a R$ 130 em algumas regiões do país.

Em sua fala, o chefe do Executivo ainda sugere que os valores repassados às distribuidoras sejam extintos, para possibilitar a venda direta aos consumidores. “O preço do gás, lá onde ele é engarrafado, está na casa dos R$ 50. Não justifica, na ponta da linha, estar custando R$ 130”, argumentou.

O presidente também lembrou dos governadores Wilson Lima (Amazonas) e Antônio Denarium (Roraima), que decidiram reduzir as taxas cobradas no ICMS do gás de cozinha.

“Quando o Denarium fala em gás de cozinha, diminuindo o imposto de 17% para 12%, e ainda disse que, no corrente ano, ele vai zerar o ICMS do gás de cozinha. Dizer a vocês que, no início desse ano, eu zerei os impostos federais sobre o gás de cozinha. A mesma coisa vem fazendo o governador Wilson Lima, do estado do Amazonas”, declarou Bolsonaro.

Denarium anunciou, no dia 15 de setembro, que reduziria o ICMS sobre o gás de cozinha, de 17% para 12%. Após a aprovação do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), o gestor disse que zeraria o imposto.

“Zerando o imposto federal, que eu já zerei, e o estadual, esses dois estados [Roraima e Amazonas] poderão, com a ajuda do Congresso, buscar a compra direta do gás de cozinha, a exemplo de uma medida provisória nossa que está para ser votada na Câmara, sobre a venda direta do etanol. O álcool que vai baratear o preço do combustível na bomba”, afirmou o mandatário da República.

Agenda em Boa Vista

A ida a Boa Vista é o segundo destino das viagens que o chefe do Executivo fará pelo Brasil. A iniciativa ocorre na tentativa de emplacar uma agenda positiva, no momento em que a reprovação do governo está alta. Os eventos fazem parte da semana de comemoração pelos mil dias de mandato, completos no domingo (26/9).

Com o slogan “Mil dias de um governo sério, honesto e trabalhador”, a ideia do Palácio do Planalto é propagandear obras entregues na atual gestão e visitar regiões estratégicas para o presidente.

No primeiro dia de viagens, na terça-feira (28/9), Bolsonaro visitou Teixeira de Freitas, na Bahia, e Teotônio Vilela, em Alagoas.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações