Políticos lamentam morte de ex-vice-presidente Marco Maciel

Político pernambucano é lembrado pela atuação na redemocratização do país e lealdade no cargo de vice-presidente da República

atualizado 12/06/2021 15:35

Ex-vice-presidente da República, Marco MacielFoto: Agência Senado/Reprodução

Personalidades do mundo político lamentaram, neste sábado (12/6), a morte do ex-vice-presidente Marco Maciel, aos 80 anos. Ele estava internado no hospital DF Star, em Brasília, mas morreu devido a uma septicemia.

O sepultamento está marcado para as 17h no Cemitério Campo da Esperança, em Brasília, em cerimônia restrita devido à pandemia. A partir das 14h30, também haverá o velório, no Salão Negro do Senado, com cerimônia também limitada aos parentes de Marco Maciel.

O ex-presidente, José Sarney (MDB-AP), colega de Maciel na Academia Brasileira de Letras divulgou uma nota falando das qualidades de Maciel na vida pública.

“Marco Maciel era um homem de grandes virtudes morais, políticas e intelectuais que ocupou um espaço exemplar na vida pública brasileira”.

“Senador, Deputado, Presidente da Câmara, Vice-Presidente da República desempenhou sempre suas funções com integridade, sobriedade e grande senso de responsabilidade. Em sua visão de intelectual foi responsável por grande contribuição à legislação brasileira desses últimos tempos”, disse o ex-presidente. “Era um homem exemplar, respeitável, digno, inteligente, culto. Como seu amigo junto-me à sua família neste momento de pesar, comungando da perda que tem o país por tudo que ele representou”, enfatizou.

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão (PRTB-SP), usou as redes sociais para se solidarizar com a família de Maciel.

Por meio de nota, o governo do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, disse por meio de nota que Maciel fará falta e destacou sua postura de “tolerância e sabedoria”.

“Com a morte de Marco Maciel, o Brasil perde mais que um exemplo de homem público. Ficamos sem uma importante voz de tolerância e sabedoria, virtudes tão em falta atualmente. Marco Maciel foi um dos líderes do país em um dos momentos mais turbulentos de nossa História. Vai fazer falta, mas que seu exemplo de conduzir a política e a vida pública pelo diálogo possa iluminar a todos nós”, desacou.

Luto

Maciel era pernambucano. Neste sábado, o governador, Paulo Câmara (PSB), decretou luto oficial de 7 dias no estado.

O presidente do Democratas, Antônio Carlos Magalhães Neto, ressaltou qualidades de Marco Maciel na vida pública.

“Em minha trajetória, pude me inspirar e aprender com seus ensinamentos. Ex-vice-presidente da República, Marco Maciel foi uma liderança capaz de motivar políticos de todas as idades. Quando ainda no movimento da Juventude do PFL, recebi palavras e gestos significativos de incentivo que jamais vou me esquecer. Mesmo carinho que nosso fundador direcionou a muitos jovens e políticos ao longo de toda a sua vida”, disse ACM Neto.

“Homem de elevado espírito público, tenho certeza que o legado de Marco Maciel será lembrado por toda nossa história”, enfatizou.

Em nota, o colega de partido e amigo Ronaldo de Caiado, governador de Goiás, também prestou homenagem ao ex-vice-presidente: “Exemplo de dignidade e de espírito público, perdemos uma unanimidade política, um verdadeiro estadista cuja biografia deve servir como exemplo para o Brasil, especialmente neste momento tão tristemente marcado pelo acirramento ideológico e pela cega confrontação”, ressaltou.

“O Democratas perde um ícone, exemplo do que é a verdadeira política. Seu legado para os mais jovens, para a sociedade e para o Brasil é imensurável. E eu tive a honra de ser seu amigo, de tê-lo como um grande líder, professor e conselheiro”.

“Marco Maciel foi para a morada de Deus, seu grande amigo. Devoto, católico, ao longo de sua existência se tornou um fiel difusor do evangelho, sempre com a mensagem viva da restauração e do amor ao próximo. Nunca teve seu nome envolvido em escândalo ou qualquer menção duvidosa. Era correto com os amigos e os eleitores. Se empenhava, todos os dias, para alcançar benefícios para a população de Pernambuco, o berço e a terra a que tanto amava”, ressaltou o governador.

Mais cedo, pelas redes sociais, o ex-ministro da Educação, Mendonça Filho, apontou o amigo como “exemplo de ética a ser seguido”. No momento que o país precisa construir consensos, o Brasil perde o maior símbolo da política do diálogo: o pernambucano Marco Maciel. O Democratas perde um de seus maiores líderes. Perco um amigo, conterrâneo e exemplo de ética a ser seguido. Uma referência pessoal e política”.

O presidente do MDB, deputado Baleia Rossi (SP), lembrou a atuação de Maciel na Frente Liberal durante a campanha Diretas Já.

“Pela Frente Liberal, Maciel teve papel importante na reabertura democrática do país. Sobretudo na construção na candidatura de Tancredo Neves em 1985″ressaltou.

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), se solidarizou com a família de Marco Maciel.

“É com tristeza que recebo a notícia, neste sábado (13), do falecimento de Marco Maciel, que foi governador de Pernambuco, senador e vice-presidente da República no governo Fernando Henrique Cardoso. O pernambucano lutava há 7 anos contra o mal de Alzheimer. Sua partida inflige enorme perda para a política brasileira e a arte da conciliação. Meus sentimentos à sua família, amigos e admiradores”, disse por meio de nota.

Também o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), lamentou o falecimento. “Lamento o falecimento de Marco Maciel, homem de espírito público, aberto ao diálogo, um democrata. Meus sentimentos aos familiares e amigos”, destacou.

O ex-governador e ex-deputado Ciro Gomes (PDT-CE) lamentou as morte em suas redes sociais. “Homem decente e de espírito publico, dignificou as melhores tradições pernambucanas na política brasileira”, escreveu.

0

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), destacou a capacidade de Marco Maciel de construir consensos em favor do país. “No auge da falta de racionalidade e da incapacidade de construir consensos em prol do Brasil, perdemos o homem público brasileiro cuja trajetória foi marcada por essas qualidades”, destacou.

Outro a lamentar a morte do ex-vice-presidente foi o presidente do MDB de Roraima, Romero Jucá, o qual afirmou que “teve a satisfação de conviver com Marco Maciel, sendo que sua inteligência e seu jeito pacato e conciliador fez dele um exemplo para todos nós”.

Confira a íntegra das notas:

Neste 12 de junho, o Democratas se despede, já com o coração saudoso, de um dos seus fundadores. Marco Maciel foi um dos mais importantes quadros do nosso partido. Com sua exemplar atuação na vida pública, escreveu uma história irretocável de dedicação ao nosso país.

Em minha trajetória, pude me inspirar e aprender com seus ensinamentos. Ex-vice-presidente da República, Marco Maciel foi uma liderança capaz de motivar políticos de todas as idades. Quando ainda no movimento da Juventude do PFL, recebi palavras e gestos significativos de incentivo que jamais vou me esquecer. Mesmo carinho que nosso fundador direcionou a muitos jovens e políticos ao longo de toda a sua vida.

Homem de elevado espírito público, tenho certeza que o legado de Marco Maciel será lembrado por toda nossa história.

Hoje, envio toda solidariedade e carinho aos familiares e amigos deste grande líder.

Um sincero e fraterno abraço da família Democratas.

Antonio Carlos Magalhães Neto
Presidente Nacional do Democratas

Governador Ronaldo Caiado manifesta pesar pela morte do ex-vice-presidente da República, Marco Maciel. Veja nota na íntegra:

É com imenso pesar que eu e minha esposa, Gracinha Caiado, recebemos a notícia do falecimento do ex-vice-presidente da República Marco Maciel, aos 80 anos, na madrugada deste sábado (12/06), em Brasília.

Natural de Recife (PE), o advogado e professor Marco Maciel foi deputado, governador de Pernambuco, senador, ministro-chefe do Gabinete Civil da Presidência da República e vice-presidente da República de 1995 a 2003.

Assumiu a presidência da República 87 vezes nos oito anos em que foi vice de Fernando Henrique Cardoso. Considerado um artífice do entendimento, construiu sua trajetória como o homem da conciliação, com contribuições decisivas para o processo histórico brasileiro, ao atuar na linha de frente que resultou no fortalecimento da democracia.

Pai de família e líder de princípios sólidos, fez da política a arte da construção ao abrir infinitas portas para o diálogo e o ordenamento institucional.

Exemplo de dignidade e de espírito público, perdemos uma unanimidade política, um verdadeiro estadista cuja biografia deve servir como exemplo para o Brasil, especialmente neste momento tão tristemente marcado pelo acirramento ideológico e pela cega confrontação.

O Democratas perde um ícone, exemplo do que é a verdadeira política. Seu legado para os mais jovens, para a sociedade e para o Brasil é imensurável. E eu tive a honra de ser seu amigo, de tê-lo como um grande líder, professor e conselheiro.

Marco Maciel foi para a morada de Deus, seu grande amigo. Devoto, católico, ao longo de sua existência se tornou um fiel difusor do evangelho, sempre com a mensagem viva da restauração e do amor ao próximo.

Nunca teve seu nome envolvido em escândalo ou qualquer menção duvidosa. Era correto com os amigos e os eleitores. Se empenhava, todos os dias, para alcançar benefícios para a população de Pernambuco, o berço e a terra a que tanto amava.

À esposa Anna Maria Ferreira Maciel, aos filhos Gisela, Maria Cristiana e João Maurício, aos demais familiares e amigos, a todos os que tiveram o privilégio de conviver com o ex-vice-presidente Marco Maciel, expressamos nossa solidariedade e nossos sentimentos. Que Deus, em sua infinita bondade, possa confortar o coração de todos neste momento de consternação e de dor.

Ronaldo Caiado
Governador de Goiás

Sobre Marco Maciel

Perde hoje o Brasil um dos melhores homens da política do século XX.

Marco Maciel era um homem de grandes virtudes morais, políticas e intelectuais que ocupou um espaço exemplar na vida pública brasileira.

Senador, Deputado, Presidente da Câmara, Vice-Presidente da República desempenhou sempre suas funções com integridade, sobriedade e grande senso de responsabilidade. Em sua visão de intelectual foi responsável por grande contribuição à legislação brasileira desses últimos tempos.

Era um homem exemplar, respeitável, digno, inteligente, culto. Como seu amigo junto-me à sua família neste momento de pesar, comungando da perda que tem o País por tudo que ele representou.

Estendo meu pesar também à Academia Brasileira de Letras, como seu colega, lembrando o quanto ficamos menores com a sua ausência.

José Sarney

Ricardo Nunes, prefeito da cidade de São Paulo, também lamentou a morte

“Com pesar, recebemos a notícia do falecimento de Marco Maciel, pernambucano de nascimento que serviu o Brasil como deputado, senador, ministro de Estado e vice-presidente da República por dois mandatos. Durante toda a sua vida, foi fiel aos princípios liberais e exerceu a política com lisura e correção. À família, parentes e amigos meus sinceros sentimentos.”

 

Últimas notícias