Pazuello desmente Miranda e diz: “Não sofri qualquer pressão de Lira”

Deputado contou à PF que o então ministro da Saúde teria dito que foi ameaçado, com direito a "dedo na cara", pelo presidente da Câmara

atualizado 03/08/2021 22:14

CPI DA Pandemia. Depoimento do ex-ministro da Saúde Eduardo PazuelloHugo Barreto/Metrópoles

O ex-ministro Eduardo Pazuello se pronunciou, nesta terça-feira (3/8), sobre as declarações do deputado federal Luís Miranda (DEM-DF) de que o então ministro da Saúde do governo Bolsonaro teria sido pressionado pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), para liberar recursos da pasta para seus aliados.

Em nota assinada pela Secretaria Especial de Comunicação Social, Pazuello, agora secretário de Estudos Estratégicos da Presidência da República, desmentiu Miranda.

Veja:

“O secretário de Estudos Estratégicos da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Eduardo Pazuello, esclarece que não sofreu qualquer pressão do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, durante sua gestão no ministério da Saúde, para disponibilizar recursos da pasta em atendimento a demandas do parlamentar”.

Dedo na cara

Em depoimento à Polícia Federal, na semana passada, Miranda relatou que Pazuello teria dito a ele que recebeu pressão de Lira, com direito a “dedo na cara”, para liberar recursos da pasta.

As informações foram reveladas pelo O Globo, que também teve acesso ao vídeo da oitiva de Miranda. Na ocasião, o parlamentar afirmou ainda que Pazuello teria dito que havia “sacanagem” no ministério desde que ele assumiu.

“Eu disse: ‘Pazuello, tá tendo sacanagem no teu ministério. Tem que agir, mermão’. Aí ele falou: ‘Sacanagem tem desde que eu entrei’, com aquele jeitão carioca dele. Inclusive, ontem, eu fui no presidente e entreguei um negócio pra ele. É um absurdo. Se estiver acontecendo de verdade, é um absurdo. Você (Pazuello) precisa cuidar disso’”, narrou Miranda.

Conselho de Ética

Em nota, nesta terça, Lira disse que as declarações de Miranda sobre ele ter pressionado Pazuello devem ser respondidas pelo agora ex-ministro ou pelo próprio Miranda no Conselho de Ética da Casa.

“A respeito das declarações dadas pelo deputado Luís Miranda, as mesmas devem ser respondidas pelo ex-ministro Eduardo Pazuello. Sobre as demais informações propagadas, o deputado deverá responder no foro adequado, que é o Conselho de Ética da Câmara dos Deputados”, afirmou Lira.

Últimas notícias