Miranda responde a Lira: “Não dei declarações, mas depoimento à PF”

Parlamentar apontou em depoimento que Lira teria ameaçado tirar Pazuello do Ministério da Saúde se não houvesse liberação de recursos

atualizado 03/08/2021 21:01

Deputado federal Luis MirandaJacqueline Lisboa/Metrópoles

O deputado Luís Miranda (DEM-DF) reagiu à informação passada pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), nesta terça-feira (3/8), de que ele terá que responder ao Conselho de Ética da Câmara sobre declarações dadas à Polícia Federal.

“Não dei declarações, mas sim um depoimento à PF sob juramento de não mentir”, respondeu Miranda, em conversa com o Metrópoles.

Lira se manifestou por meio de nota diante da acusação de que ele teria feito pressão sobre o então ministro da Saúde Eduardo Pazuello para liberação de recursos da pasta.

Essa acusação consta no depoimento de Miranda dado à PF e foi revelada pelo jornal O Globo.

O jornal informou ter obtido o vídeo da oitiva do parlamentar, ocasião em que ele conta também que Pazuello teria dito que havia “sacanagem” no ministério desde que ele assumiu.

De acordo com o jornal, a conversa entre Miranda e o ex-ministro teria ocorrido no dia 21 de março, um dia depois de o próprio Miranda e seu irmão, Luís Ricardo Miranda, que é servidor do Ministério da Saúde, terem levado ao presidente Jair Bolsonaro (em partido) denúncias sobre a compra da vacina indiana Covaxin, cujo contrato foi suspenso em virtude das suspeitas de irregularidades.

O depoimento de Miranda foi prestado num inquérito aberto para investigar se Bolsonaro prevaricou, ou seja, não tomou providências ao ser informado sobre as supostas ilegalidades na aquisição do imunizante.

Em um dos trechos do depoimento, Miranda relata o que teria ouvido de Pazuello sobre Lira: “(E eu perguntei) Que cara? O Arthur Lira, porra [teria respondido Pazuello]. O Arthur Lira colocou o dedo na minha cara e disse: ‘Eu vou te tirar dessa cadeira’, porque eu não quis liberar a grana pra listinha que ele me deu dos municípios que ele queria que recebesse. Ele bota o dedo na minha cara”.

Após as revelações, a assessora de Lira divulgou a seguinte nota:

“A respeito das declarações dadas pelo deputado Luís Miranda, as mesmas devem ser respondidas pelo ex-ministro Eduardo Pazuello. Sobre as demais informações propagadas, o deputado deverá responder no foro adequado, que é o Conselho de Ética da Câmara dos Deputados”.

Foto com o ministro

Miranda chegou a divulgar um registro fotográfico da viagem que fez com o ex-ministro. Nessa viagem, segundo ele, o então titular da pasta teria afirmado receber pressão de Lira para a liberação de recursos para municípios selecionados pelo integrante do Centrão.

A viagem ocorreu no dia 21 de março para o recebimento de 1,22 milhão de doses de vacinas contra Covid-19 da Covax Facility, em Guarulhos (SP).

0

 

Últimas notícias