Para chefiar missão, Temer precisa de autorização para sair do país

O ex-presidente foi convidado por Bolsonaro para representar a ajuda brasileira ao Líbano. Emedebista aceitou a tarefa

atualizado 10/08/2020 0:25

Michel Temer aguarda Bolsonaro no alto da rampa do palacio do planalto - Posse do presidente Jair BolsonaroMichael Melo/Metrópoles

Alvo de sete processos da Operação Lava Jato no Rio de Janeiro, o ex-presidente Michel Temer precisa de autorização para deixar o país e cumprir a tarefa para a qual foi convidado pelo presidente Jair Bolsonaro: chefiar a missão de ajuda do Brasil no Líbano, após a explosão que matou cerca de 150 pessoas e espalhou destruição pelas ruas da capital, Beirute.

De acordo com a defesa do ex-presidente, ele já comunicou à Justiça a intenção de viajar e aguarda a permissão. Temer, que é filho de libaneses, já obteve aval da Justiça para sair do país duas vezes e, para isso, precisou recorrer a juízes de segunda instância, já que cumpre obrigações impostas quando deixou a prisão.

Uma dessas restrições é a retenção do passaporte. Ele foi preso preventivamente pela operação Lava Jato fluminense em março de 2019.

O convite feito pelo presidente Bolsonaro para liderar a missão brasileira de apoio ao país no Oriente Médio foi divulgado neste domingo (9/8). Em nota, Temer se disse honrado com o convite. “Quando o ato for publicado no Diário Oficial serão tomadas as medidas necessárias para viabilizar a tarefa”, afirmou o ex-presidente.

 

0

Últimas notícias