“Não quero peitar o Supremo”, diz Bolsonaro sobre indulto a Silveira

Presidente admitiu que o deputado aliado falou “coisas absurdas”, mas ponderou que elas não justificam a pena aplicada

atualizado 30/04/2022 12:34

Presidente Jair Bolsonaro fala com a imprensa após o encontro com presidente do STF Luiz Fux 3Igo Estrela/Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (PL) disse nesta sexta-feira (29/4) não querer “peitar” o Supremo Tribunal Federal (STF) ao conceder o indulto ao deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ), condenado pela Corte a 8 anos e nove meses de prisão, em regime fechado, além de multa e inelegibilidade.

Bolsonaro reconheceu que o deputado falou “coisas absurdas”, mas que não justificam a pena aplicada. Na visão dele, houve um “excesso” por parte do Supremo e o perdão ao parlamentar visa “corrigir essa injustiça”.

Recordar é viver: o que disse Silveira para que fosse condenado

“Caberia a mim, e só a mim e mais ninguém aqui no Brasil, desfazer essa injustiça. Eu não quero peitar o Supremo, dizer que eu sou mais importante, ou eu tenho mais coragem que eles, longe disso. (…) Entendo que houve um excesso”, disse o mandatário em entrevista à Rádio Metrópole FM, de Cuiabá (MT). “Então, para corrigir essa injustiça nós aqui assinamos a graça.”

Mais lidas
Últimas notícias