MPF denuncia prefeito de Macaé (RJ) por corrupção envolvendo a Odebrecht

Denúncia aponta pagamentos indevidos de R$ 1,440 milhão. Além de Dr. Aluizio, auxiliares e executivos da empresa também foram denunciados

atualizado 21/12/2020 15:36

DIVULGAÇÃO/ODEBRECHT

Prefeito de Macaé (RJ), Aluízio dos Santos Júnior, mais conhecido como Dr. Aluizio, foi denunciado à Justiça pelo Ministério Público Federal (MPF) por um suposto esquema de corrupção entre o município e a Odebrecht Ambiental.

Além do prefeito, três de seus auxiliares e três executivos do Grupo Odebrecht foram denunciados ao Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2).

Segundo o Ministério Público, a denúncia lista 10 pagamentos indevidos, que somam R$ 1,440 milhão, como contrapartida “para o município não criar embaraços para a parceria público-privada com a Odebrecht Ambiental no mandato iniciado em 2013”.

“O MPF na 2ª Região (RJ/ES) se baseou em investigação que corroborou revelações de executivos do grupo Odebrecht cúmplices no esquema e que se tornaram colaboradores da Justiça – incluindo o ex-presidente da Odebrecht Ambiental que autorizava os pagamentos indevidos”, diz o MPF.

O TRF-2 autorizou a quebra de sigilo telemático e, com isso, o MPF comprovou, por exemplo, que um dos portadores do prefeito compareceu ao endereço previsto para a entrega de R$ 270 mil em junho de 2014.

Além do prefeito, o MPF denunciou Jean Vieira de Lima (procurador do Município), Marcos André Riscado de Brito (ex-controlador em Macaé), Welton Carlos Arantes Vasconi (intermediário para Dr. Aluízio) e três ex-executivos da Odebrecht: Fernando Luiz Ayres da Cunha Santos Reis (ex-presidente da Odebrecht Ambiental), Renato Amaury de Medeiros (ex-diretor da Odebrecht Ambiental) e Fernando Fernandes Meias Bessa (ex-diretor da Odebrecht Ambiental/Macaé).

Últimas notícias