Michel Temer contesta Bolsonaro e nega “acordo” com Moraes por trégua

No ano passado, ex-presidente e atual chefe do Executivo escreveram e divulgaram uma carta em sinalização de trégua após embates com o STF

atualizado 07/06/2022 17:56

Daniel Ferreira/Metrópoles

O ex-presidente da República Michel Temer (MDB) negou, nesta terça-feira (7/6), que tenha feito “acordo” com o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), para um trégua entre o Executivo e o Judiciário.

O suposto pacto foi mencionado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) durante declaração nesta terça. Segundo o chefe do Executivo federal, Moraes não cumpriu os termos de carta costurada com Temer, em setembro de 2021, após a temperatura subir em meio a atos antidemocráticos realizados no feriado de 7 de Setembro.

Em nota, Temer contesta a versão de Bolsonaro e diz que o único objetivo da carta era “ajudar a pacificar o país e restabelecer o imperativo constitucional da harmonia entre os Poderes”.

“As conversas se desenvolveram em alto nível como cabia a uma pauta de defesa da democracia. Não houve condicionantes e nem deveria haver pois tratávamos ali de fazer um gesto conjunto de boa vontade e grandeza entre dois Poderes do Estado brasileiro”, disse o emedebista.

Em entrevista ao programa Perspectivas, do SBT, Bolsonaro declarou que Moraes “não cumpriu nenhum dos itens” que teriam condicionado a sinalização de trégua para com o ministro.

“Não falei isso para ninguém, estou falando primeiro para você. Estava eu, Michel Temer e um telefone celular na minha frente. Ligamos para o Alexandre de Moraes e falamos três vezes com ele, e combinamos umas certas coisas para assinar aquela carta. Ele não cumpriu nenhum dos itens que eu combinei com ele”, disse o mandatário à emissora.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Mais lidas
Últimas notícias