Marinho: “Peculiaridades” militares serão consideradas na Previdência

Secretário especial de Previdência Social avaliou que a reforma das Forças Armadas deve ter tratamento diferente da outra, dos civis

atualizado 15/03/2019 13:08

Marcelo Camargo/Agência Brasil

O secretário especial de Previdência Social, Rogério Marinho, falou sobre a reforma da Previdência das Forças Armadas, nesta sexta-feira (15/3), em evento no Rio de Janeiro. Ele afirmou que é necessário que haja equidade no tratamento entre militares e civis, mas destacou que há diferenças relevantes no formato das carreiras. As informações são do jornal O Globo.

“As Forças Armadas têm peculiaridades nas suas carreiras que serão levadas em consideração”, disse Marinho em evento promovido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Na semana que vem, o projeto de lei que estabelece mudanças no sistema de benefícios dos militares deve ser encaminhado ao Congresso Nacional. A proposta mantém uma série de privilégios, como o valor do benefício igual ao último salário (integralidade) e introduz novos, como a garantia de que a categoria terá reajuste anual.

Marinho acredita que a proposta de reforma comece a ser analisada pelo Congresso já na próxima semana, uma vez que a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) já foi instalada na última quarta-feira (13), e que seja aprovada ainda no primeiro semestre.

Últimas notícias