Lula: “Impeachment de Bolsonaro deve ser feito por entidades, não pelo PT”

Ex-presidente disse que partidos políticos não deveriam estar a frente do processo de impeachment. PT não entrou com pedido contra Bolsonaro

atualizado 30/04/2020 13:30

Ex-presidente Lula concede entrevista virtualReprodução

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) convocou nesta quinta-feira (30/04) entidades para estarem à frente do processo de impeachment de atual mandatário do país, Jair Bolsonaro (sem partido).

Lula tirou a responsabilidade do Partido dos Trabalhadores (PT) e de todas as outras siglas. Segundo ele, o processo vai ficar “partidarizado” e, portanto, não ganharia apoio no Parlamento.

“Achamos que ele [o impeachment] deveria vir de uma entidade da sociedade civil, ou de várias entidades, e não de partidos políticos”, disse, em entrevista ao portal UOL.

Ele cita como exemplo as seguinte entidades: Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e Central Única dos Trabalhadores (CUT).

“Se a gente apresentar impeachment pelo PT vai partidarizar o processo”, complementou o ex-presidente.

Recentemente, vários partidos políticos, como PSB, PSol e PDT, apresentaram o pedido no Congresso, mas não o PT. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que o impeachment não está no radar.

A posição de Lula quanto à saída do presidente Bolsonaro da presidência mudou em meio à pandemia do novo coronavírus. O petista acusa o atual chefe do Executivo de crime de responsabilidade.

A economia, a saúde e o desenvolvimento do país, segundo Lula, foram destruídas pelo atual mandatário da República.

“Ou a gente encontra um jeito de pegar os crimes de responsabilidade que o Bolsonaro já cometeu e tira ele, ou o Bolsonaro vai acabar com esse país”, disse.

Veja a íntegra da entrevista, que foi publicada no perfil oficial do ex-presidente/Lula:

Últimas notícias