Líder do governo fala em descumprir decisões judiciais: “Não dá mais”

De acordo com Ricardo Barros, as sentenças do Judiciário estão cada vez mais "sem fundamento, sentido e senso prático"

atualizado 08/06/2021 17:57

Ricardo BarrosJP Rodrigues/ Metrópoles

O líder do governo na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros (Progressistas-PR), afirmou, nesta terça-feira (8/6), que vai chegar uma hora em que as decisões do Poder Judiciário serão descumpridas, porque elas “não têm fundamento nenhum”. “Não dá mais”, afirmou o parlamentar.

“O Judiciário vai ter que se acomodar nesse avançar nas prerrogativas do Executivo e do Legislativo. Vai chegar uma hora em que vamos dizer que simplesmente não vamos cumprir mais. Vocês cuidam dos seus que eu cuido do nosso, não dá mais simplesmente para cumprir as decisões, porque elas não têm nenhum fundamento, nenhum sentido, nenhum senso prático”, afirmou.

A declaração foi feita como um comentário à determinação do Supremo Federal Tribunal (STF) para que o governo realize o Censo Demográfico em 2022. Para Barros, “ninguém vai abrir a porta para o recenseador no meio da pandemia”.

O deputado disse ainda que é necessário enfrentar o que chamou de “classe de inimputáveis” – composta, segundo ele, por promotores, juízes e auditores fiscais que “fazem o que querem”. “Se um promotor te ofender, não acontece nada. O Brasil tem que enfrentar isso”, completou, em evento da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e do Correio Braziliense.

Últimas notícias