Justiça Eleitoral suspende vídeo do PTB que liga esquerda a pedofilia

Em vídeo, deputado estadual e presidente da sigla em Santa Catarina diz que, para a esquerda, pedofilia é doença ou opção sexual, não crime

atualizado 11/03/2022 22:50

propagando do ptbPTB/Reprodução

A Justiça Eleitoral de São Paulo e a de Santa Catarina acataram pedido do Partido Socialismo e Liberdade (PSol) de Santa Catarina nesta sexta-feira (11/3) para proibir a veiculação de propaganda partidária do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). No vídeo, o presidente da sigla, deputado estadual Kennedy Nunes, associa a esquerda a pedofilia.

No material, transmitido em canais abertos de televisão, o parlamentar argumenta: “A esquerda defende que pedofilia é uma doença. Agora, acharam uma nova tipificação, dizendo que é uma opção sexual. Pra nós, do PTB, pedofilia é crime, e crime hediondo”.

O desembargador Silmar Fernandes, do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP), julgou procedente o pedido do PSol, uma vez que a propaganda “ultrapassou os limites legais”. “A fim de se evitar prejuízo ao partido representante, com a divulgação de conteúdo de tamanha gravidade, entendo razoável a concessão de liminar”, define.

De acordo com o PSol, a peça propaga mentiras com o objetivo de prejudicar partidos políticos de orientação política de esquerda. O PTB tem cinco dias para se manifestar com a apresentação de provas.

Veja a decisão:

Mais lidas
Últimas notícias