metropoles.com

Indicação da deputada Bia Kicis à CCJ sofre resistência na Câmara e no STF

A procuradora aposentada é alvo de inquérito sobre fake news e atos antidemocráticos e, na avaliação dos pares, traria desgaste ao colegiado

atualizado

Compartilhar notícia

Divulgação
Deputada federal Bia Kicis
1 de 1 Deputada federal Bia Kicis - Foto: Divulgação

A indicação da deputada federal Bia Kicis (PSL-DF) para assumir a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados tem sofrido resistência de parlamentares – aliados e opositores – e incomodado até parte do Supremo Tribunal Federal (STF), diz um deputado governista. Ela é alvo de investigação sobre divulgação de fake news e realização de atos antidemocráticos, lembra um governista.

O desconforto parte de deputados ligados ao presidente eleito da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), inclui a ala do PSL não bolsonarista e a oposição.

Na avaliação de parlamentares, a deputada bolsonarista usaria a comissão mais importante da Casa para travar uma “batalha ideológica” e traria desgastes desnecessários ao governo Jair Bolsonaro e ao novo presidente da Casa, Arthur Lira, na aprovação de matérias relevantes. Todas começam pela CCJ.

Contudo, como cabe ao PSL a indicação para esse colegiado e a decisão é interna, parlamentares de outros partidos, inclusive da base governista, querem reverter a indicação no convencimento para evitar disputas nos colegiados, o que poderia desencadear um efeito cascata em outras comissões.

Um deputado ligado a Lira avalia que a quebra de acordo na eleição da Mesa Diretora da Câmara, nesta quarta-feira (3/2), que conduziu o presidente nacional do PSL, Luciano Bivar (PE), ao cargo de 1° secretário pode atrapalhar os planos de Bia Kicis.

Afinal, havia um acordo no qual ele ficaria com o cargo na Mesa, sem disputas de candidaturas avulsas, e a ala bolsonarista indicaria alguém à CCJ. O acordo, todavia, foi quebrado com a candidatura avulsa de Léo Motta (PSL-MG), que não teve sucesso.

Como combustível adicional à rejeição interna, internautas vêm criticando, desde a noite de terça-feira (2/2), nas redes sociais, a indicação da parlamentar para a comissão tida como a mais importante da Casa, pois é nela que se define a legalidade ou não de cada proposta em tramitação.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações