Helder Barbalho diz estar “tranquilo” após ser alvo de operação da PF

Casa do governador do Pará foi alvo na manhã desta quarta-feira (10/06) de mandados de busca e apreensão

atualizado 10/06/2020 12:35

Alvo de operação da Polícia Federal (PF), o governador do Pará, Hélder Barbalho, disse nesta quarta-feira (10/06) estar “tranquilo” e “à disposição para qualquer esclarecimento”.

A PF apura fraudes na compra de respiradores pulmonares pelo governo do estado e fez buscas na casa do governador, além do Palácio dos Despachos — sede do governo — e das secretarias de Saúde, Fazenda e Casa Civil.

A compra dos respiradores com dispensa de licitação para tratar pacientes com Covid-19 custou R$ 50,4 milhões aos cofres do estado, segundo a PF.

Metade do pagamento foi feito à empresa fornecedora dos equipamentos de forma antecipada. Os aparelhos, no entanto, eram de modelo diferente do contratado e não serviam para o tratamento da Covid-19 e foram devolvidos.

“Agi a tempo de evitar danos ao erário público, já que os recursos foram devolvidos aos cofres do estado”, esclareceu o governador paraense, em uma rede social.

Helder Barbalho esclareceu ainda que não é amigo do empresário — dono da empresa que vendeu os respiradores — e que, “obviamente”, não sabia que os equipamentos não funcionavam.

“Por minha determinação, o pagamento de outros equipamentos para a mesma empresa está bloqueado e o governo entrou na justiça pleiteando indenização por danos morais coletivos contras os fornecedores”, prosseguiu.

0

Posicionamento do governo

O governo do estado do Pará informou, em nota, que contribui com a operação da Polícia Federal. Além disso, ressalta que a administração estadual entrou na Justiça com pedido de indenização por danos morais contra os vendedores dos aparelhos.

Veja a nota na íntegra:

“Em nome do respeito ao princípio federativo e do zelo pelo erário público, o Governo do Estado reafirma seu compromisso de sempre apoiar a Polícia Federal no cumprimento de seu papel em sua esfera de ação. Informa ainda que o recurso pago na entrada da compra dos respiradores foi ressarcido aos cofres públicos por ação do Governo do Estado. Além disso, o Governo entrou na justiça com pedido de indenização por danos morais coletivos contra os vendedores dos equipamentos.”

 

Últimas notícias