Governo faz 97 novas indicações para cargos na Abin

Agência de Inteligência foi reformulada pelo chefe do GSI, general Augusto Heleno, na semana passada

atualizado 17/08/2020 15:53

Alexandre RamagemIgo Estrela/Metrópoles

O Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira (17/8) traz 97 mudanças na Agência Brasileira de Inteligência (Abin). A troca de cadeiras no órgão tem a assinatura do ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, do chefe da Abin, Alexandre Ramagem, e do número dois da agência, Frank Oliveira.

Por se tratar de um trabalho desempenhado sob sigilo, o nome dos servidores que ocuparão as nova funções não é divulgado, apenas os números das matrículas.

Na última semana, o GSI, órgão ao qual a Abin é vinculada, publicou um decreto reformando o quadro de cargos da agência. A determinação editada por Heleno criou a unidade do Centro de Inteligência Nacional (CIN).

Ramagem reassumiu o comando da Abin neste ano após ter a indicação para assumir a Polícia Federal barrada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes.

A nomeação de Ramagem para a PF provocou uma crise dentro do governo devido à proximidade dele com a família do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Antes disso, o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro já havia deixado o governo e acusado o chefe do Executivo de querer interferir na PF. Bolsonaro já reclamou de falta de informações dos órgãos de inteligência e disse que poderia “intervir”.

“Não houve aumento de gastos com pessoal”

Na tarde desta segunda, o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência informou que “não houve aumento de gastos com pessoal” na Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

“Não houve aumento de gastos com pessoal e sim a reorganização da Agência para melhor integração do Sistema Brasileiro de Inteligência (SISBIN); aperfeiçoamento da inteligência na proteção de autoridades; melhor controle interno e externo e divisão das superintendências em quatro níveis. Por fim, ratificamos que não são novos servidores”, disse o GSI em nota.

Leia a íntegra da nota

Nota de Esclarecimento

Em relação a matérias veiculadas na mídia, nesta data, sobre a Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), informamos àqueles que reagem à Inteligência de Estado, por desconhecimento, o seguinte:

1. O Diário Oficial da União, de hoje, publicou nomeações resultantes da nova estrutura regimental da ABIN, estabelecida pelo Decreto n°10.445/20, que passou a vigorar em 17 de agosto de 2020;

2. Titulares de cargos na estrutura anterior foram nomeados, conforme o novo decreto;

3. Não houve aumento de gastos com pessoal e sim a reorganização da Agência para melhor integração do Sistema Brasileiro de Inteligência (SISBIN); aperfeiçoamento da inteligência na proteção de autoridades; melhor controle interno e externo e divisão das superintendências em quatro níveis.

4. Por fim, ratificamos que não são novos servidores.

Atenciosamente,
Assessoria de Comunicação Social

Brasília, DF, 17 de Agosto de 2020.
Assessoria de Comunicação Social do GSI

0

 

Últimas notícias