Governadores do Nordeste condenam participação da PM em atos de 7/9

Reunidos, nove mandatários divulgaram carta na qual definem que forças estaduais somente "cumprirão a missão de proteger a ordem pública"

atualizado 25/08/2021 14:55

Governadores do Nordeste reunidosReprodução/Redes Sociais

Em carta divulgada nesta quarta-feira (25/8), governadores dos nove estados do Nordeste indicaram que são proibidas convocações de policiais militares para os protestos programados para o próximo dia 7 de setembro, em favor do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), e contra o Judiciário.

Aprovado por todos os chefes dos Executivos estaduais da região, o documento informa que “as instituições estaduais cumprirão a missão de proteger a ordem pública e, por isso mesmo, não participarão de qualquer ação que esteja fora da Constituição”.

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PSB) apresentou a carta durante a reunião do Fórum de Governadores do Nordeste. O gestor maranhense também explicou, por meio de sua assessoria, que não se pode proibir, como pessoa física, qualquer policial de participar das manifestações. No entanto, Dino reitera que convocações de agentes da PM, em nome das forças policiais estaduais, ferem a Constituição e não serão toleradas.

“Não permitiremos que atos irresponsáveis tumultuem o Brasil”, diz a carta assinada por Dino, Wellington Dias (Piauí), Renan Filho (Alagoas), Rui Costa (Bahia), Camilo Santana (Ceará), João Azevedo (Paraíba), Fátima Bezerra (Rio Grande do Norte), Belivaldo Chagas (Sergipe), além da vice-governadora de Pernambuco, Luciana Santos.

0

Últimas notícias