Família fundadora do MBL deve R$ 400 milhões ao Fisco, diz MP

O órgão, em conjunto com a Polícia Civil de São Paulo e a Receita Federal, faz operação contra lavagem de dinheiro e ocultação de patrimônio

atualizado 10/07/2020 9:54

A família Ferreira dos Santos, criadora do grupo Movimento Brasil Livre (MBL), deve cerca de R$ 400 milhões ao Fisco Federal, segundo investigação do Ministério Público de São Paulo (MPSP).

Dois empresários ligados ao grupo foram alvo de mandados de prisão na manhã desta sexta-feira (10/7), acusados de lavagem de dinheiro e ocultação de patrimônio. O MBL nega, no entanto, que os dois fazem parte do grupo.

De acordo com os procuradores, a família Ferreira dos Santos, que é a mesma de Renan dos Santos, que se tornou popular após organizar e participar de vários protestos contra a ex-presidente Dilma Rousseff (PT), adquiriu “duas dezenas de empresas” que hoje se encontram “todas inoperantes”.

Além disso, o MPSP aponta para o recebimento de doações de forma suspeita (cifras ocultas) pelo grupo por meio da plataforma Google Pagamentos.

Os presos são Alessander Monaco Ferreira, acusado de movimentação financeira extraordinária e criação de duas empresas de fachada, e Carlos Augusto de Moraes Afonso, conhecido como Luciano Ayan, que fundou ao menos quatro empresas de fachada, além de ser apontado por disseminar fake news e ameaçar aqueles que questionam as finanças do MBL.

Na operação, realizada em conjunto pela Polícia Civil de São Paulo, o Ministério Público do estado e a Receita Federal, os agentes apreenderam diversas mídias digitais, entre celulares, computadores, HDs e pen-drives; documentos impressos e dinheiro.

Últimas notícias