Em semana de recorde de mortos, Planalto lança “Placar da Vida”

Secom decide focar em divulgação de "números amplamente positivos" da pandemia de coronavírus e é hostilizada nas redes

atualizado 28/04/2020 23:42

Myke Sena/ especial para o MetrópolesMyke Sena/ especial para o Metrópoles

Em semana marcada pelo número recorde de 474 mortes por coronavírus no Brasil registrado nesta terça-feira (28/04), o que levou o total de vítimas no país a superar até a marca da China (5.017 ante 4.633), a Secretaria de Comunicação do Palácio do Planalto (Secom) postou nas redes sociais um novo empacotamento para os dados da pandemia: o “Placar da Vida”. A postagem enfatiza “números amplamente positivos” da doença no país, de acordo com a própria secretaria, demonstrando até as 14h desta terça-feira, 71.886 diagnósticos confirmados da doença, 32.544 “brasileiros salvos” e ainda 34.325 casos que seguem em acompanhamento.

O que irritou internautas foi que a postagem simplesmente não toca no número de mortos, que chegou a uma soma de 5.017 nesta terça, superando a China, com 4.633 óbitos confirmados até o momento.

Um primeiro post com o mesmo formato foi publicado na segunda-feira (27/04).

A propaganda do governo em cima da pandemia gerou críticas nas redes sociais, inclusive citando as palavras do próprio presidente da República, Jair Bolsonaro, na noite desta terça-feira. Ao parar para dar entrevista, na porta do Palácio da Alvorada, Bolsonaro reagiu ao ser questionado sobre o fato de o Brasil ter ultrapassado a China no número de mortos por coronavírus: “E daí?”.

“E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê? Eu sou Messias, mas não faço milagre”, disse o presidente. “Coronavírus, o ministro [da Saúde, Nelson Teich] que fala por essa questão.”

Internautas anda ironizaram o trabalho da Secom:

E se revoltaram com a falta de clareza na divulgação dos dados:

A Secom foi questionada sobre a propaganda do governo, no entanto, ainda não respondeu ao Metrópoles. O espaço continua aberto.

Últimas notícias