Em nota, Pazuello lamenta 100 mil mortes por Covid-19: “Não são números”

Ministro interino da Saúde reiterou a importância do tratamento precoce

atualizado 08/08/2020 19:25

Ministro Interino da Saúde, Eduardo PazuelloIgo Estrela/Metrópoles

O ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello, lamentou, no início da noite deste sábado (8/8), em nota, a marca de 100 mil mortes por Covid-19 no país. Sem citar a cloroquina, ele reiterou, no entanto, a importância do tratamento precoce.

“Não se trata de números, planilhas ou estatísticas, mas de vidas perdidas, que afetam famílias, amigos e atingem o entorno do convívio social”, disse o ministro interino, que fez questão de registrar que o país tem milhares de recuperados.

“O Brasil ocupa o primeiro lugar no mundo em número de pacientes recuperados, registrando mais de 2 milhões de brasileiros curados”, disse, ao agradecer também o empenho e a dedicação dos profissionais de saúde.

“O Ministério da Saúde permanece trabalhando 24 horas por dia em parceria com estados e municípios para garantir que não faltem recursos, leitos, medicamentos e apoio às equipes de saúde”, prosseguiu.

Em seguida, Pazuello evidenciou que, a qualquer sinal ou sintoma da doença, as pessoas procurem imediatamente a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima de sua casa.

“A ida ao médico, o diagnóstico precoce e o início imediato do tratamento, com a prescrição do medicamento mais adequado a cada caso, é o que pode sim fazer a diferença”, afirmou.

Em maio deste ano, após exonerações de Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich da pasta, o ministro Eduardo Pazuello divulgou o novo protocolo para ampliar a recomendação do uso da cloroquina por pacientes com casos leves de Covid-19.

0

 

Últimas notícias