Diretora demitida tem acesso à Apex bloqueado: ela nega confusão

Segundo testemunhas, Letícia Catelani teve que ser contida por seguranças. Ex-gestora diz que isso não aconteceu e ela pôde entrar no prédio

atualizado 08/05/2019 23:11

Instagram/Reprodução

Destituída do cargo no início desta semana pelo novo diretor da Agência de Promoção de Exportações (Apex-Brasil), o contra-almirante Sérgio Ricardo Segovia, a agora ex-diretora de Negócios Letícia Catelani voltou à sede da Apex nesta quarta-feira (08/05/2019) para recolher seus pertences. Segundo fontes que estariam na portaria na chegada da ex-diretora, ela protagonizou uma confusão ao ser informada de que não poderia entrar no prédio. Letícia Catelani, contudo, desmente essa versão.

Testemunhas contaram que a ex-gestora teria tentado pular a catraca, aos gritos, e precisou ser contida por seguranças. Nesta noite, Letícia divulgou uma nota de esclarecimento, na qual afirma ter ido embora ao não conseguir acesso ao prédio e, na sequência, ser alcançada por um gerente da agência, que liberou sua entrada para recolher objetos pessoais.

Leia a íntegra do texto divulgado: 

“Letícia Catelani esclarece que esteve hoje na sede da Apex, em Brasília, com o simples propósito de buscar seus objetos pessoais, documentos, computador, passaporte, bíblia e artigos religiosos que ainda estavam na sala que ela ocupava. Na portaria, quando tentou pegar um crachá de visitante, foi informada que o presidente do órgão não autorizou a entrada no prédio e informou que os objetos seriam empacotados e enviados a ela por correio. Ao receber a informação, Letícia deixou a portaria do edifício e, ao se dirigir ao seu carro, foi abordada pelo gerente de infraestrutura que se desculpou e comunicou que o acesso já estava liberado e que ela poderia retirar seus objetos”.

Exonerada nessa segunda-feira (06/05/2019), Catelani caiu atirando. Em suas redes sociais, ela postou que sofreu pressão do governo de Jair Bolsonaro (PSL) pela manutenção de “contratos espúrios” e que agora “paga o preço por ter combatido a corrupção”.

“Combati incansavelmente a corrupção e fechei as torneiras que a alimentavam”, escreveu Letícia em seu Twitter. “Estou pagando o preço. Sofri pressão de dentro do governo pela manutenção de contratos espúrios, além de ameaças e difamações. Não me intimidei! Gratidão pelo apoio e o movimento”, reiterou.

Olavetes
Catelani e Márcio Coimbra – que era da diretoria de Gestão Corporativa – foram exonerados depois de quase cinco meses na agência. Indicados pelo chanceler Ernesto Araújo e considerados “olavetes”, ambos se desentenderam com dois ex-presidentes da Apex, Alexis Carreiro e o embaixador Mário Vilalva.

Últimas notícias