CPI: senador pede que Polícia Legislativa apure publicação homofóbica de empresário

Empresário pediu desculpas após ter caso exposto publicamente, mas disse ter feito comentário em "tom de brincadeira"

atualizado 30/09/2021 14:44

Roque de Sá/Agência Senado

O senador Fabiano Contarato (Rede-ES) expôs, nesta quinta-feira (30/9), ataque que sofreu nas redes sociais por Otávio Oscar Fakhoury, que depõe nesta manhã na CPI da Covid-19. O parlamentar pediu à Polícia Legislativa para que apure suposto crime de homofobia.

O pedido decorre de agressão dirigida pelo empresário ao senador. Na postagem, ele publica: “O delegado homossexual assumido talvez estivesse pensando no perfume de alguma pessoa ali daquele plenário. Quem seria o perfumado que o cativou?”. Isso porque Contarato fez uma publicação em que troca “flagrancial” por “fragancial”.

Veja: 

Em tom de desabafo, o senador do Espírito Santo pediu que o depoente seja responsabilizado pelo crime de homofobia. “O senhor não é um adolescente, o senhor é casado, o senhor tem filhos e a sua família não é melhor que a minha. Que tipo de imagem o senhor deixa para os seus filhos?”

“Não poderia deixar de me pronunciar sobre essa agressão. O senhor vem aqui nesta comissão e diz que pauta sua vida observando os princípios da legalidade e da moralidade. Que moralidade é essa?”, prosseguiu.

Os demais senadores em plenário demonstraram solidariedade ao senador atacado. “Tenho vergonha de ter você como brasileiro. Vergonha dessas pessoas que agem com esse princípio baixo e vergonhoso”, disse o senador Marcos do Val (Podemos), também do Espírito Santo, ao depoente.

Fakhoury pediu desculpas ao senador após a exposição do caso, mas defendeu ter feito o comentário “em tom de brincadeira”. “Ninguém é perfeito, mas uma das condições de uma pessoa cristã é reconhecer o erro e pedir perdão, por isso me retrato aqui diante de todos e a todos que se sentiram ofendidos com este comentário”, disse.

Últimas notícias