Candidato a federal, Frota entra com ação para barrar registro de Lula

Filiado ao PSL-SP, ex-ator entrou com ação, nesta quarta, no TSE para barrar o registro de candidatura do petista. MBL pediu o mesmo

AgNews

atualizado 15/08/2018 21:42

O candidato a deputado federal Alexandre Frota (PSL-SP) entrou, nesta quarta-feira (15/8), com uma ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para barrar o registro de candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), preso e condenado na Lava Jato. O pedido foi distribuído ao ministro Tarcisio Vieira de Carvalho Neto.

O pedido de impugnação do registro de candidatura de Lula foi feito logo depois de o PT oficializá-lo na Corte Eleitoral. Frota solicitou que o TSE declare o petista inelegível, negando-lhe o registro. Também hoje, o candidato a deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP), líder do Movimento Brasil Livre (MBL), ingressou com uma ação para barrar o registro de candidatura do ex-presidente.

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) condenou o petista a 12 anos e 1 mês de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá (SP), situação que enquadra o ex-presidente na Lei da Ficha Limpa.

Frota afirma que Lula tumultua o cenário político nacional. “Resta evidenciada a impossibilidade de participação do impugnado no pleito eleitoral até mesmo diante de sua ausência na convenção partidária”, acrescenta.

Prazo
Conforme o prazo eleitoral, até esta quarta-feira (15) deve ser apresentado ao TSE o requerimento de registro de candidatos a presidente e a vice-presidente da República.

Até o dia 18 de agosto, a Justiça Eleitoral publica edital no Diário da Justiça Eletrônico com a relação dos pedidos de registro de candidatos. Até o dia 23, o Ministério Público Eleitoral (MPE), candidatos, coligações e partidos adversários podem questionar o registro do petista, mas o Broadcast Político apurou que o MPE estuda a possibilidade de pedir a rejeição da candidatura do Lula já nos próximos dias.

Últimas notícias