Bolsonaro sobre despesa com soropositivos: “Fui mal interpretado”

Para defender programa de abstinência sexual de Damares, presidente citou o caso de uma adolescente grávida que contraiu HIV

atualizado 06/02/2020 15:11

Andre Borges/Esp. Metrópoles

Após declaração do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) repercutir negativamente, sobretudo nas associações que representam pessoas com HIV, o mandatário da República afirmou, na manhã desta quinta-feira (06/02/2020), ter sido mal interpretado.

Ao comentar o caso de uma adolescente de 10 anos que contraiu o vírus durante a terceira gestação, o chefe do Executivo disse que a pessoa com HIV “é uma despesa”.

O titular do Planalto usou o exemplo da garota para defender o programa de abstinência sexual promovido pelo Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, comandado pela pastora Damares Alves.

Ao ser questionado sobre o que ele quis dizer ao declarar sobre as despesas do Estado com pessoas soropositivas, o presidente resumiu: “Lógico que dá [despesa]. Quem é que vai tratar dessa menina com HIV? O hospital público. De onde vem o dinheiro? De todo mundo, até de vocês. Vocês escreveram que eu disse que ‘aidético’ dá prejuízo para o Brasil. Vai botar todos os ‘aidéticos’… quem tem problema de AIDS contra mim”.

Últimas notícias