Bolsonaro sobre coronavírus: “Teremos dias duros e difíceis”

País registra três mortes pela Covid-19. Governo anunciou pacote de estímulo à economia de R$ 147,3 bi

atualizado 18/03/2020 17:26

Presidente Jair BolsonaroRafaela Felicciano/Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta quarta-feira (17/03) que o Brasil terá “dias difíceis e dias duros pela frente”, ao se referir ao avanço da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, no país.

A declaração foi feita durante coletiva à imprensa realizada no Palácio do Planalto, para apresentar medidas que o governo vem adotando para minimizar os efeitos do vírus na economia brasileira.

“O problema está aí, está batendo à nossa porta. Teremos dias difíceis, dias duros pela frente. Agora, serão menos difíceis se cada um de vocês se preocupar consigo, com os seus parentes e seus amigos”, disse o presidente.

Ao fim da coletiva, Bolsonaro orientou a população a adotar as medidas básicas de higiene. O chefe do Executivo usou máscara durante a coletiva. Em alguns momentos, no entanto, ele, juntamente aos oito ministros presentes, retirou a máscara para falar e beber água, por exemplo.

A medida foi adotada porque todos tiveram contato com os ministros Bento Albuquerque (Minas e Energia) e Augusto Heleno (Gabinete Institucional), que tiveram resultado positivo para o novo coronavírus.

“Somente dessa forma, seguindo os preceitos ditados pelo Ministério da Saúde, como em primeiro lugar medidas básicas de higiene, nós podemos atenuar a curva da infecção de modo que nós, Poder Executivo, através de nossos meios, hospitais e meios de saúde, [possamos] atender quem tem necessidade e atender com qualidade”, disse.

O presidente voltou a falar que o “pânico não leva a lugar nenhum” e agradeceu o apoio dos demais Poderes. “O momento é de gravidade, de grande preocupação, mas devemos evitar que esse clima chegue a nós, adotando essas medida. E mais uma vez eu agradeço aos Poderes da República pela compreensão e apoio que têm nos dado, não com soluções, mas para atenuar esse grave problema que se aproxima”, concluiu.

Últimas notícias