Bolsonaro: RS pode virar Roraima se “esquerdalha” vencer na Argentina

Alberto Fernandez e a vice Cristina Kirchner ganharam as primárias nesse domingo (11/08/2019)

atualizado 12/08/2019 14:26

Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) lamentou a vitória da oposição nas primárias presidenciais argentinas, realizadas nesse domingo (11/08/2019). De acordo com o chefe do Executivo, o Rio Grande do Sul, um dos estados brasileiros que fazem fronteira com a Argentina, pode tonar-se “nova Roraima”, em alusão ao estado, que recebe imigrantes que fogem da crise da Venezuela.

“Povo gaúcho, se essa ‘esquerdalha’ voltar aqui na Argentina, nós poderemos ter no Rio Grande do Sul um novo estado de Roraima”, disse Bolsonaro nesta segunda-feira (12/08/2019), em Pelotas (RS), durante evento para inaugurar 47 quilômetros de duplicação da BR-116. O presidente afirmou que “a turma de Cristina Kirchner” é a mesma de Dilma Rousseff, Hugo Chávez e Fidel Castro.

“Não queremos isso, irmãos argentinos fugindo para cá, tendo em vista o que de ruim que parece que vai se concretizar por lá, caso essas eleições realizadas ontem se confirmem agora no mês de outubro”, completou. De acordo com vídeo postado no perfil oficial de Bolsonaro, o presidente brasileiro foi recebido aos gritos de “mito”.

O candidato kirchnerista à presidência da Argentina, Alberto Fernández, obteve nesse domingo (11/08/2019) 47% dos votos nas primárias para a eleição de outubro, com uma vantagem de 15 pontos para o presidente Mauricio Macri, parceiro político de Bolsonaro. A ex-presidente Cristina Kirchner é a vice de Fernández.

Últimas notícias