Bolsonaro responde Omar Aziz: “Serei, com muito orgulho, motociclista”

Presidente da CPI da Covid havia dito que o país tem um “grande motoqueiro” e “péssimo presidente”. Colegiado retorna na próxima semana

atualizado 31/07/2021 14:10

Marcos Corrêa/PR

Após participar de um passeio de moto em Presidente Prudente (SP), neste sábado (31/7), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez um afago aos motociclistas, que compõem sua base popular e têm promovido motociatas pelo país em apoio ao governo federal.

Bolsonaro aproveitou para responder o presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19Omar Aziz (PSD-AM), que afirmou que o Brasil tem um “presidente motoqueiro” que não tem a sensibilidade de visitar hospitais ou pessoas que perderam entes queridos, mas adora assacar adversários políticos.

“Segundo aquele senador da CPI, eu sou motoqueiro. É o que a CPI conseguiu apurar agora contra o meu governo. Serei, fui, com muito orgulho, um motociclista. É a liberdade na pista em duas rodas. Um prazer inigualável”, disse Bolsonaro em discurso em cima de um carro de som.

Aziz fez o comentário pouco antes da interrupção dos trabalhos da CPI da Covid, em meados de julho. “Agressor de mulheres, adora gritar com as mulheres, mas adora andar de moto. Grande motoqueiro o Brasil tem, péssimo presidente o Brasil tem”, acrescentou o senador ao criticar o presidente.

A CPI retorna aos trabalhos no início de agosto, após duas semanas de recesso parlamentar. O colegiado, instalado inicialmente para investigar ações e omissões do governo federal no combate à pandemia, tem avançado em denúncias de irregularidades na aquisição de vacinas.

Agenda em Presidente Prudente

Estava previsto para a agenda de Bolsonaro um evento promovido por ruralistas. Presidente Prudente é sede da União Democrática Ruralista (UDR), que já foi presidida pelo atual secretário de Assuntos Fundiários do governo federal, Luiz Antonio Nabhan Garcia. Nabhan acompanhará Bolsonaro.

Na última quarta-feira (28/7), porém,  o juiz Darci Lopes Beraldo proibiu a realização do evento para recepcionar o presidente na cidade.

Com autorização da prefeitura da cidade, o evento previsto para este sábado poderia receber público de até 2 mil pessoas, mas foi cancelado pela gestão municipal após decisão da Justiça.

De acordo com o magistrado, o evento contraria as medidas sanitárias do estado para o enfrentamento da pandemia de Covid-19. As normas estipuladas permitem que os estabelecimentos adotem a ocupação máxima de 60%.

Beraldo estipulou multa de R$ 2 milhões à prefeitura em caso de descumprimento da decisão.

Bolsonaro chegou à cidade do interior paulista por volta das 9h deste sábado. Além da motociata, estão previstas duas visitas a hospitais, nas quais o presidente será acompanhado pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e outras autoridades, e um encontro com prefeitos dos estados de Mato Grosso do Sul, Paraná e São Paulo.

0

Últimas notícias