Bolsonaro incentiva invasão de hospitais para checar ocupação de leitos

Presidente afirmou, em live, que pessoas "devem achar um jeito de entrar e filmar"; ele alegou que isso ajudaria a controlar gastos

atualizado 11/06/2020 22:59

Bolsonaro fala com apoiadoresHugo Barreto/Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro defendeu, em transmissão ao vivo pelas redes sociais nesta quinta-feira (11/06), que pessoas pelo país “arranjem um jeito” para entrar em hospitais de campanha ou públicos que estejam atendendo pacientes com Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus, e filmar a situação.

“Tem um hospital de campanha perto de você, tem um hospital público, arranja uma maneira de entrar e filmar. Muita gente tá fazendo isso, mas mais gente tem que fazer, para mostrar se os leitos estão ocupados ou não, se os gastos são compatíveis ou não”, incentivou o presidente.

Bolsonaro não falou sobre eventuais riscos sanitários a que as pessoas estarão expostas caso aceitem a sugestão ou sobre possíveis problemas de segurança ou consequências para quem trabalha nas unidades. O presidente alegou que queria que mandassem para ele, “pelas redes sociais”, e isso seria então de alguma forma encaminhado para apuração.

A declaração foi dada na live semanal que faz às quintas-feiras. Nesta quinta, ele também criticou seu primeiro ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, de quem disse gostar “pessoalmente”, pelo que chamou de “exagero nos números” da pandemia de coronavírus. Em várias oportunidades, Bolsonaro defendeu o fim do isolamento horizontal (mais amplo, não restrito a grupos de maior risco) e participou de atividades com aglomeração (com e sem máscara).

0

Não é a primeira vez que Bolsonaro duvida dos números reais de atingidos pelo vírus. Já atacou governadores por supostamente inflarem os números, já deu a entender que a letalidade é muito baixa e deve ser aceita com naturalidade e insinuou interesses políticos para atingi-lo numa tentativa de transformar em algo mais grave do que é a crise do coronavírus.

Nesta quinta, o boletim do Conselho Nacional de Secretarias Estaduais de Saúde (Conass) sobre o estado da pandemia de coronavírus divulgado no início da noite registrou 1.240 mortes e 30.412 casos de Covid-19 nas últimas 24h. Com esses números, o país chega a 40.920 falecimentos e 802.828 pessoas infectadas desde que o novo vírus chegou ao país em fevereiro deste ano.

0

 

Mais lidas
Últimas notícias